18 Fev
Viseu

Cultura

Onze bandas no festival de metal mais antigo da Península Ibérica

por Redação

10 de Janeiro de 2020, 17:14

Foto Arquivo Jornal do Centro

Hard Metal Fest realiza-se este sábado em Mangualde

CLIPS ÁUDIO

O Centro Cultural e Recreativo de Santo André, em Mangualde, acolhe este sábado (11 de janeiro) o festival Hard Metal Fest que comemora 26 anos. Esta edição conta com um cartaz diverso e “muito forte”, segundo José Rocha, organizador do evento, com bandas estrangeiras “a visitar Portugal pela primeira vez” e também nacionais a estrearem-se neste palco mítico.

No círculo internacional, José Rocha destaca bandas do Reino Unido como os Praying Mantis, os Blitzkrieg, “que são contemporâneas e importantes como os Iron Maiden” ou os Xentrix, “mais direcionados para o trash metal”. Também os espanhóis Dark Embrace assinalam o primeiro espetáculo em Portugal.

Os alemães Blood, os noruegueses Ancient e os britânicos Iron Void são, segundo o porta voz, “bandas mais chamativas”.

Quando questionado acerca dos concertos que não se podem perder, José Rocha afirma: nenhum. “Todas as bandas são obrigatórias porque têm qualidade. São bandas dentro do panorama metálico, mas divididas em vários subgéneros dentro do heavy metal e acho que temos para todos os gostos”, justifica.

No que diz respeito ao público, o organizador está certo que ano após ano a afluência tem vindo a aumentar graças aos fiéis que não perdem uma edição. “Há pessoas que vêm há muitos anos, continuam a vir e trazem amigos”, explica.

Ainda que produzir um evento como o Hard Metal Fest seja difícil por fatores como “logística, horários, transportes, alimentação”, tudo compensa. “Normalmente o trabalho compensa até porque acabo por ter sempre motivação para pensar na edição seguinte. Adianto já que 99 por cento das bandas já estão contratadas para 16 de janeiro de 2021 e o cartaz será anunciado às 15h00 [deste sábado] no Centro Cultural de Santo André”, sustenta.

O que é nacional é bom

Uma das características do Hard Metal Fest é ter sempre bandas portuguesas a marcar presença. Este ano é a vez de Infraktor, Karbonsoul e Godark se estrearem no palco do festival.

Em março de 2013 os Infraktor formaram um grupo. Hugo Silva, vocalista, também conhecido por “Popas”, e o guitarrista Carlos Almeida “Catito”, são os fundadores. Ambos do concelho de Ílhavo, Aveiro, começaram por compor músicas em casa. Inicialmente procuraram músicos locais, mas acabaram por recorrer a pessoas de fora da zona. “O ‘Chico’ (Francisco M, baterista, foi o primeiro. Ele já tinha sala de ensaios e a bateria montada, e começámos a ensaiar e a fazer música a 60 quilómetros daqui (Santa Maria da Feira)”, começa por contar o guitarrista.

Após algumas mudanças de elementos, em 2015, o Ricardo Martins, guitarrista, e o Miguel Pinto, baixo, também se juntaram à banda. “Agora o lineup está estabilizado e é assim que seguimos para a frente”, diz, em tom de brincadeira, Carlos Almeida. Atuar no Hard Metal Fest é icónico e um privilégio para estes músicos. “O festival mais antigo do país, a mítica toda que traz, o ambiente que se vive lá... e a zona do interior é fantástica. Sempre que tocámos lá foi bom”, diz Hugo Silva, relembrando espetáculos na Associação Fora de Rebanho ou Viseu Rock Fest.

Para o concerto no Hard Metal Fest, os Infraktor irão apresentar temas do álbum lançado em 2018 e atualmente estão a compor música para um novo disco que será lançado em breve.e pensam que os festivaleiros “devem ver tudo o que lá está”. “Há um leque de bandas que devem ver porque é assim que descobrimos música nova e até nos apaixonamos”, remata o guitarrista.

Sacred Sin nasceu em 1991. No Hard Metal Fest não atuam desde 1999, por isso mesmo é quase uma estreia. “Tenho ido várias vezes [assistir] ao festival. Com a banda voltamos agora ao fim de 20 anos. Para nós é um orgulho e uma grande satisfação saber que o evento tem perdurado ao longo do tempo. É de louvar este tipo de iniciativas”, afirma José Costa, vocalista, acrescentando que “este regresso é uma maneira de nos mostrarmos às pessoas que nunca nos viram e será uma boa aposta”.

O espetáculo em Mangualde vai contar com temas do disco novo, que será apresentado ainda este ano. “Depois consultamos os fãs e eles dizem-nos o que querem que toquemos. A banda é nossa, mas também daqueles que nos querem ouvir”, explica José Costa.

O Hard Metal Fest decorrerá a partir das 15h00, no Centro Cultural e Recreativo de Santo André, com 11 bandas a subirem ao palco daquele que é o festival mais antigo de rock do país.