24 Fev
Viseu

Região

Inspetores das Finanças regressam à Câmara de Nelas

por Redação

14 de Fevereiro de 2020, 00:00

Foto Arquivo Jornal do Centro

Polícia Judiciária tem "gabinete" na autarquia

CLIPS ÁUDIO

A Câmara Municipal de Nelas continua a ser investigada. Pela quarta vez, os inspectores da Inspeção Geral de Finanças (IGF) estiveram no edifício da autarquia, onde continuaram com a análise a documentos administrativos relacionados com alegados contratos, utilização e alterações aos fundos disponíveis do mandato anterior (em 2017), mapas de ajudas de custo de funcionários e membros do executivo, entre outras irregularidades ainda não explicadas.

A investigação da IGF foi iniciada em dezembro de 2019 e prolongou-se ao longo do mês de janeiro deste ano. Esta é já a quarta vez em que se verifica a presença dos inspetores que continuam a trabalhar num gabinete requisitado para o efeito onde estão a passar a “pente fino” vários documentos que solicitaram aos Serviços Administrativos.

A investigação já foi questionada em duas reuniões de câmara por um dos vereadores da oposição.

A 20 de dezembro, o vereador do PSD, Joaquim Amaral, pediu esclarecimentos e, na altura, o presidente da Câmara, Borges da Silva, acabou por confirmar a presença dos investigadores, adiantando que tinha sido informado sobre algumas averiguações que tinham de fazer no âmbito das suas competências “das quais não me quiseram dar conhecimento, nem sei do que trataram”.

Borges da Silva voltou depois a falar numa outra reunião, admitindo tratar-se de uma “inspeção extraordinária”.

O Jornal do Centro apurou junto de fonte próxima da autarquia de Nelas que a presença dos inspectores da IGF resulta de um conjunto de várias denúncias que começaram a chegar ao conhecimento dos inspetores. Foi possível ainda saber que a IGF fez uma recomendação ao executivo de Borges da Silva para nomear internamente uma nova técnica superior para coordenar a Área Financeira da Câmara de Nelas, porque depois da saída da anterior responsável optaram por entregar a pasta das Finanças e Economia do Município a uma empresa externa.

A autarquia de Nelas, questionada pelo Jornal do Centro, nada adianta sobre o assunto.