18 Fev
Viseu

Região

Água do Caramulo muda de mãos

por Redação

31 de Janeiro de 2020, 13:00

Foto Arquivo Jornal do Centro

Negócio foi confirmado pelo Super Bock Group

CLIPS ÁUDIO

É oficial. A fábrica da Água do Caramulo, localizada em Varzielas, no concelho de Oliveira de Frades, e que está encerrada há um ano foi vendida. O negócio avançado em primeira mão pelo Jornal do Centro em agosto foi agora confirmado pelo Super Bock Group. Num esclarecimento, a empresa informa apenas que foi “assinado o contrato-promessa de compra e venda do Centro de Produção do Caramulo”.

“A venda desta unidade, com a descontinuação da sua atividade, foi um cenário sempre equacionado e é agora uma oportunidade que se está a efetivar. Esta operação seguirá os seus trâmites normais, com o envolvimento dos órgãos competentes, até à sua concretização formal”, acrescenta a companhia, escusando-se a avançar mais detalhes sobre a alienação da fábrica. O valor do negócio não foi revelado, nem tão pouco se os compradores do centro de produção adquiriram também a marca Água do Caramulo.

Ouvido pelo Jornal do Centro, o presidente da Câmara de Oliveira de Frades, Paulo Ferreira, mostra-se “satisfeito” com esta venda, mas recusa fazer mais comentários “até haver mesmo fumo branco”. Já o presidente da União de Freguesias de Arca e Varzielas, Jorge Bandeira, fala numa “boa notícia”. “Estas notícias são sempre boas para a freguesia. A venda é recebida de bom grado por todos”, afirma.

A empresa fechou portas em fevereiro de 2019, atirando para o desemprego mais de duas dezenas de pessoas, muitas das quais com largos anos de casa. Apenas uma pequena minoria decidiu aderir ao plano de mobilidade aberto pela companhia de bebidas. Jorge Bandeira espera agora que os antigos funcionários sejam contratados. “Está tudo encaminhado nesse sentido. Pelo menos parte deles vai ser contratado”, adianta.

Encerramento causou várias reações

A notícia do fecho da fábrica caiu que nem “uma bomba” na serra, mas o desânimo não durou muito tempo, pois mal se soube do encerramento, começaram a surgir empresários e investidores interessados em reabrir a unidade.

Na zona do Caramulo, mais concretamente nos concelhos de Oliveira de Frades, mas também de Tondela e de Vouzela, de onde eram naturais os funcionários da fábrica, todos acreditavam e continuam a defender que a empresa tem solução. Recordam que para além da “marca Caramulo”, em causa estava o fim daquela que descrevem como “a melhor água do mundo”.

O encerramento da fábrica levou também alguns partidos políticos, como o CDS, o PCP e o Bloco de Esquerda, a questionarem o governo.

Razões do fecho

A Água do Caramulo encerrou portas no 28 de fevereiro de 2019. Na altura em que comunicou a decisão de encerramento, no início desse mesmo ano, o Super Bock Group justificava o fecho da unidade em “resultado da quebra significativa de volumes ao longo dos anos considerando a baixa procura pela marca nos mercados externos e interno, consequência do segmento das águas lisas ser altamente comoditizado e competitivo em marcas próprias e de distribuição”.

A companhia salientou ainda a tendência de queda de volumes da marca ao longo desta década - na ordem dos 50 por cento -, sendo que à data do encerramento a produção era “cerca de um terço da capacidade total da unidade”.