20 Fev
Viseu

Cultura

Câmara de Viseu critica saída de diretora do Teatro Viriato

por Redação

05 de Fevereiro de 2020, 21:26

Foto Arquivo Jornal do Centro

Autarquia fala em "profundo desrespeito institucional" e numa quebra de “princípios éticos da confiança e parceria”

CLIPS ÁUDIO

A Câmara de Viseu lamentou esta quarta-feira (5 de fevereiro) não ter sido ouvida relativamente à saída de Paula Garcia da direção do Teatro Viriato, o que considera “um profundo desrespeito institucional” e uma quebra de “princípios éticos da confiança e parceria”.

O Centro de Artes do Espetáculo de Viseu (CAEV), entidade responsável pela gestão e programação do Teatro Viriato, anunciou em comunicado que a artista e escritora Patrícia Portela vai substituir Paula Garcia, “que deixa o seu lugar para abraçar um novo desafio profissional”.

Em comunicado, o município de Viseu diz-se surpreendido com este anúncio e lembra que é o proprietário do teatro e o principal financiador da sua atividade.

Por isso, considera que estas decisões, “destituídas de uma auscultação e articulação prévias com aquele que é o proprietário do equipamento e principal parceiro do projeto”, são “um profundo desrespeito institucional e uma quebra dos mais elementares princípios éticos da confiança e parceria”.

“A autonomia artística do CAEV na programação do teatro municipal nunca foi posta em causa. Existem, porém, decisões estratégicas relativas à orientação e desenvolvimento do projeto cultural que é o Teatro Viriato que exigem concertação e diálogo”, sublinha.

A autarquia estranha ainda que “a atual diretora não tenha concluído o seu mandato até ao fim, nos termos do projeto candidatado a financiamento do Ministério da Cultura”.

No seu entender, “decisões unilaterais como estas ferem as condições de relacionamento institucional de futuro e representam um voltar de costas à comunidade local”.

A Câmara recorda que, além da cedência do teatro e da sua manutenção corrente, assegura anualmente, até 2021, um financiamento de 380 mil euros, destinado à programação e ao funcionamento daquela estrutura.

Segundo a CAEV, Patrícia Portela irá fixar-se em Viseu a partir de 1 de março, sucedendo a Paula Garcia na direção do Teatro Viriato.

“Profunda conhecedora do Teatro Viriato e uma das artistas que tem marcado presença assídua na sua programação, Patrícia Portela é reconhecida nacional e internacionalmente pela singularidade da sua obra, tendo recebido por ela vários prémios”, pode ler-se no comunicado emitido pela entidade gestora do Teatro Viriato, que considera que a escolha de Patrícia Portela irá “garantir a continuidade” do projeto do espaço cultural viseense.

Paula Garcia, que trabalhava no Teatro Viriato desde 1999 e era diretora desde finais de 2016, vai manter-se na presidência da CAEV, pelo facto de ter sido autora da candidatura em vigor apresentada à Direção-Geral das Artes, cujo projeto está em vigência até 2021.