22 Fev
Viseu

Região

Carreira aérea suspensa a 22 de fevereiro

por Redação

12 de Fevereiro de 2020, 15:19

Foto Arquivo Jornal do Centro

Empresa concessionária justifica suspensão por procedimentos burocráticos

CLIPS ÁUDIO

12 Fev 2020

Hernâni Dias, presidente da Câmara de Bragança

12 Fev 2020

d

A carreira aérea que passa por Viseu vai ser suspensa temporariamente a partir do próximo dia 22 de fevereiro. O anúncio foi feito esta tarde de quarta-feira (12 de fevereiro) pela empresa que faz a ligação aérea entre Bragança e Portimão.

Em comunicado, a Sevenair diz que a reativação da carreira “está condicionada à contratação do serviço público que ainda não foi formalizada” pelo Governo.

A transportadora aérea refere ainda que esta é uma situação externa à empresa e que espera ver solucionada a qualquer momento.

Em resposta, a Câmara de Viseu anunciou que vai mandar uma carta ao Governo a mostrar a sua preocupação com esta situação. Já o presidente da Câmara de Bragança, Hernâni Dias, diz que este é um caso grave para o interior do país.

“Qualquer situação de suspensão representa um prejuízo enorme para o nosso território e também para Vila Real e Viseu, por existir uma carreira que está a ser feita para garantir que nós temos capacidade de ligação rápida e cómoda à capital do país e a outras zonas. Lutámos tanto para reativar esta linha, que não queremos que ela seja suspensa”, lamenta.

O autarca recorda que a empresa Sevenair está há meses à espera do visto do Tribunal de Contas para o novo contrato de concessão e também está a perder dinheiro por manter a rota em funcionamento.

“O que tem acontecido é que tem havido sucessivas extensões do contrato e agora aguardam o visto. Se isso não acontecer, compreendo que a empresa não tenha capacidade financeira para explorar a manutenção da ligação aérea e suspenda a atividade”, admite.

À semelhança do que a Câmara de Viseu já tinha pedido, Hernâni Dias também vai pedir ao Governo para resolver o problema, o quanto antes.

O Jornal do Centro já pediu explicações ao Governo. Em resposta à agência Lusa, o Ministério das Infraestruturas esclareceu que o contrato de serviço público assinado com a Sevenair para a ligação aérea regional entre Bragança, Vila Real, Viseu, Cascais e Portimão está condicionado por porque a empresa não enviou ainda os seus relatórios de contas necessários para a libertação das verbas, apesar da insistência do Governo.

Segundo o ministério tutelado por Pedro Nuno Santos, o contrato aguarda ainda visto do Tribunal de Contas. "O Ministério das Infraestruturas e da Habitação espera que a empresa consiga tão rápido quanto possível divulgar esses relatórios de contas devidamente certificados", indicou.