09 Ago
Viseu

Entrevista

"Há pessoas que não têm dinheiro para adquirir os medicamentos"

por Redação

20 de Março de 2020, 01:00

Foto Arquivo Jornal do Centro

Centro Solidário com Augusto Menezes, do projeto Abem, e Diamantino Santos, da Freguesia de Viseu

CLIPS ÁUDIO

Criada em novembro de 2015, a Associação Dignitude implementou o projeto Abem, Rede solidária do medicamento. A iniciativa abrange todo o país. Na freguesia de Viseu são apoiadas cerca de 50 pessoas. Augusto Menezes (AM), um dos responsáveis pela associação e Diamantino Santos (DS), presidente da Freguesia de Viseu falam do projeto.

De que trata o projeto Abem?

AM- Nós temos a precessão que há pessoas que não têm dinheiro para adquirir os medicamentos que lhes são prescritos, mesmo com comparticipação do Estado. Mediante um estudo sabemos que um em cada 10 portugueses está nessa situação. É uma percentagem elevadíssima. Este programa permite de forma estruturada ajudar as pessoas.

A nível nacional quantas pessoas já foram apoiadas?

AM- Já apoiamos 7 322 famílias, o que se traduz em 13 343 beneficiários. Cada beneficiário tem um cartão que apresenta na farmácia e assim conseguimos saber quem ajudamos.

A freguesia de Viseu sentiu que existiam dificuldades na aquisição dos medicamentos e por isso aderiu ao programa Abem?

DS- A nossa política de proximidade enquanto autarcas de freguesia dá-nos uma responsabilidade muito grande de olharmos não só para o material mas também para o imaterial e para as pessoas. Percebemos que para além de ser uma questão de saúde era também uma questão social. Era necessário encontrar uma resposta urgente que desse satisfação a estas necessidades.

Na freguesia de Viseu quantas pessoas são abrangidas pela iniciativa?

DS- Já chegámos a apoiar cerca de uma centena de utentes e pelo facto de algumas pessoas terem ultrapassado a fase menos boa a nível financeiros, atualmente chegamos a cerca de meia centena de pessoas.

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts