Autor

Diana Fernandes

06 de 04 de 2021, 17:35

Colunistas

Dia Mundial da atividade física

De acordo com a OMS, adultos entre os 18 e os 64 anos devem realizar duas horas e meia de atividade física de intensidade moderada por semana, acompanhadas de atividades que contribuam para a manutenção ou melhoria da força e resistência musculares

Da iniciativa da Organização Mundial da Saúde (OMS), assinala-se no próximo dia 6 de abril o dia Mundial da Atividade Física. Este dia, surge como forma de luta contra o sedentarismo (um dos principais fatores de risco de morte em todo o mundo e responsável por mais de 3 milhões de óbitos por ano) e visa sublinhar os benefícios da prática regular de exercício físico.
Através do Departamento de Epidemiologia do Instituto Ricardo Jorge, o Inquérito Nacional de Saúde com Exame Físico (INSEF) revela que mais de um terço dos portugueses pratica atividade física regular, ou seja, pelo menos uma vez por semana e de forma a transpirar e a sentir cansaço, com os homens a aderirem mais aos exercícios, principalmente na faixa etária entre os 25 e os 34 anos.
A prática de exercício físico regular é sinónimo de várias vantagens. A Direção Geral de Saúde recomenda as seguintes como sendo as mais significativas:
Reduz o risco de morte prematura;
Diminui o risco de morte por problemas cardíacos ou AVC;
Reduz o risco de desenvolver doenças cardíacas, cancro do cólon e diabetes tipo 2;
Ajuda na prevenção e redução de doenças como hipertensão e osteoporose;
Ajuda a controlar o peso e diminui o risco de obesidade;
Reduz o risco de dores articulares, sendo um aliado para a saúde de ossos, músculos e articulações;
Diminui o stress, ajuda a combater a ansiedade e a depressão e promove o bem-estar psicológico e melhora a qualidade do sono;
Ajuda a prevenir e controlar comportamentos de risco como o consumo de tabaco, ingestão em excesso de bebidas alcoólicas e substâncias tóxicas.

De acordo com a OMS, adultos entre os 18 e os 64 anos devem realizar duas horas e meia de atividade física de intensidade moderada por semana, acompanhadas de atividades que contribuam para a manutenção ou melhoria da força e resistência musculares. Caso se trate de uma intensidade mais exigente, as guidelines aconselham cerca de metade do tempo referido.

No entanto, a vida assoberbada do nosso dia-a-dia, cada vez mais exigente, surge como desculpa para a inatividade e inércia, levando ao um aumento cada vez maior da percentagem de obesidade mundial. Efetivamente, se à sobrecarga laboral, associada ao trabalho doméstico, juntarmos ainda as 8 horas diárias de sono necessárias para um descanso eficaz, pouco é o tempo que nos sobra para outras atividades. Todavia uma boa gestão do tempo aliada a algumas estratégias poderão facilitar a integração da atividade física na nossa rotina diária, muitas vezes sem o esforço que achámos que exigiria:
Use escadas em vez do elevador;
Estacione o carro mais longe do que o habitual ou desloque-se a pé ou de bicicleta;
Aproveite as novas tecnologias para o ajudarem a estabelecer objetivos e ainda a cumpri-los (pedómetros ou smartwatch);
Realize exercício quando brinca com os seus filhos: brinque à apanhada, jogue futebol, faça atividades ao ar livre;
Durante o trabalho, levante-se frequentemente, alongando e tendo sempre em atenção a sua postura;
Diminua ao máximo os períodos de inatividade.

Faça da atividade física um hábito, quer em casa, no trabalho ou em lazer, adotando estratégias simples, mas com grande impacto na sua saúde. Cuide de si!


Enfermeira Especialista em Enfermagem de Saúde Infantil e Pediátrica na Unidade de Cuidados na Comunidade Viseense

Mais Notícias

09 de 04 de 2021, 20:24

Lojas online

Acredito que algumas alterações vão ser passageiras e poderão voltar ao normal e outras vieram definitivamente para ficar.