Autor

Miguel Ângelo David

22 de 03 de 2024, 16:03

Colunistas

É na Imprensa Regional que encontramos o pulsar da região e das pessoas

As populações, sobretudo as mais afastadas dos grandes centros urbanos , têm na Imprensa Regional a sua grande aliada em matéria de educação para o Risco e Sensibilização das Comunidades

opinião barra

Atividade de Proteção Civil versus Imprensa Regional; um tema pulsante, desafiante, mas…talvez deva ser encarado de uma forma mais proativa, para beneficio de um elemento comum: o cidadão!
A Imprensa Regional é o elo fundamental na cadeia que liga a comunidade onde se integra e todos os acontecimentos que a ela diretamente dizem respeito.
É na Imprensa Regional que encontramos o pulsar da região e das pessoas; as suas preocupações, os seus ensejos, as suas alegrias; as suas conquistas, mas é também através da Imprensa Regional que a informação imediata com consequências diretas na vida das comunidades , encontra resposta.
Na roda de um tempo de grandes alterações geográficas, tecnológicas e climáticas por exemplo, é na Imprensa Regional que a Proteção Civil encontra um dos seus grandes aliados para difundir, alertar e esclarecer situações de fenómenos adversos que levam a que as pessoas se consciencializem de que têm que tomar medidas para mitigar as consequências desses mesmos fenómenos.
Contextualizando e partindo de normativos, a Proteção Civil é uma atividade de carácter permanente, transversal a todos os setores da sociedade, desenvolvida pelo Estado, Regiões Autónomas, autarquias, entidades públicas e privadas, e pelos cidadãos, os seus principais objetivos são a prevenção e preparação face aos riscos coletivos, e a resposta e recuperação em caso de ocorrência de acidentes graves ou catástrofes. Embora não explicitamente consagrada ou consolidada em termos de contexto por todo o cidadão, podemos considerar que é uma das tarefas fundamentais do Estado.
É pois essencial o estreitamento de espirito cooperativo entre a atividade desenvolvida pela Proteção Civil nos seus diversos patamares: municipal, sub-regional, regional e nacional e os diversos órgãos de comunicação social local de forma a que, perante qualquer aviso ou sinal de alerta que impacte o quotidiano das populações, a mensagem chegue rapidamente a essas comunidades e as mesmas desencadeiem todos os mecanismo de autoproteção, pois na prática atua quem está mais próximo e mais preparado.
Para educar para o risco , sensibilizar, formar e treinar as comunidades a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil tem desenvolvido conjuntamente com as Câmaras Municipais e Juntas de Freguesia e os Agentes de Proteção Civil bem como com as entidades cooperantes, vários programas em diferentes domínios e para os quais a imprensa regional pode ser um importante aliado, são disso exemplo os Projetos , Risco Sísmico “ A Terra Treme” , nos Incêndios Rurais “Aldeia Segura Pessoas Seguras” entre outros, que formam e preparam cidadãos.
Perante um aviso meteorológico ou probabilidade de ocorrência de fenómenos de grande severidade que possam interferir com o quotidiano das populações que possam estar ou ficar em risco, contamos com a imprensa local/regional para através dos seus múltiplos canais, como é o caso do Jornal do Centro, conseguir chegar a diferentes públicos alvo em diferentes locais.
A sua presença em diferentes áreas sectoriais seja pelas vias tradicionais enquanto jornal , seja pelos canais digitais, muito nos tem apoiado para que consigamos concretizar ações preventivas que ajudam a mitigar, minorar e mesmo anular alguns efeitos que determinadas situações podem causar junto das nossas comunidades.
As populações, sobretudo as mais afastadas dos grandes centros urbanos , têm na Imprensa Regional a sua grande aliada em matéria de educação para o Risco e Sensibilização das Comunidades.
É normal, sobretudo no interior um olhar atento sobre as previsões meteorológicas, sobre as noticias que são novidades nos seus territórios ou acontecimentos no panorama regional e muitas vezes nacional, sendo um dos mais importantes aliados das comunidades, pois promove programas ou artigos de opinião com temáticas de variado interesse junto do seu publico alvo preferencial.
Nos desafios atuais nós Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, vimos na imprensa regional um importante aliado que pode atuar como alavanca para que se sensibilize, esclareça e implementem medidas que influenciem fatores que ajudem a minimizar consequências, sendo objetivo trabalhar de forma estratégica uma Proteção Civil cada vez mais preventiva e menos reativa.

Confúcio na sua sabedoria disse:

“Aquele que não prevê as coisas longínquas expõe-se a desgraças próximas! “e “Em todas as coisas o sucesso depende de uma preparação prévia, e sem tal preparação o falhanço é certo!”
Por esse fator contamos com o vosso jornal e com cada um dos vossos colaboradores, para nos auxiliarem nesta missão que é de todos enquanto cidadão, porque todos somos proteção civil.