Geral

08 de 07 de 2024, 17:22

Cultura

Cláudia Lucas Chéu e Rui Catalão esta sexta-feira e sábado em Viseu

Teatro Viriato organiza a 20.ª sessão do projeto "Noite Fora", que terá duas partes no espaço cultural e na Mata do Fontelo

Fotógrafo: D.R./Carlos Fernandes

O Teatro Viriato, em Viseu, organiza esta sexta-feira e sábado (12 e 13 de julho) os autores Cláudia Lucas Chéu e Rui Catalão na nova edição do projeto “Noite Fora”, que promove a leitura encenada e os textos de dramaturgia.

A iniciativa conduzida por Sónia Barbosa apresenta agora uma “proposta de estudo e discussão sobre dramaturgia e criação de dramaturgia original”, revela o Teatro Viriato sobre a sessão que terá duas partes.

"Nesta 20.ª sessão celebramos artistas, autores e espectadores e reinventamos uma vez mais o Noite Fora. De tal forma que este se desdobrou em uma Noite Fora e uma Tarde na Floresta", afirma Sónia Barbosa.

Nesta sexta-feira às 21h00, no palco do Teatro Viriato, decorre uma conversa aberta sobre dramaturgia com Cláudia Lucas Chéu.

"Reunindo um grupo de artistas e criadores da área do teatro, iremos discutir e pensar em conjunto a dramaturgia contemporânea portuguesa. Através de um texto paradigmático de autoria portuguesa, o debate e a criação escrita surgirão durante a nossa sessão. E desse encontro nascerá uma conversa com o público. Partilharemos as nossas reflexões, questões e alguns textos sobre o assunto", explica a criadora.

Já no sábado às 16h00, a Mata do Fontelo recebe "1 Tarde na Floresta", onde será lido um texto original desenvolvido com artistas da região, com autoria e direção de Rui Catalão.

"Vamos pegar num depoimento recolhido em entrevista, em que se conta uma história de vida, e editá-la até ganhar o formato de um texto dramatúrgico. O objetivo, a partir de uma matéria real, é produzir a ficção, não através de acrescentos, mas do simples exercício de montagem", refere Rui Catalão.

O dramaturgo e encenador acrescenta que este exercício visa ainda imprimir ao trabalho “a velocidade do trabalho jornalístico para não deturpar o ritmo das experiências encontradas no quotidiano” e trabalhar na “urgência do teatro”. “Os participantes terão ainda de encontrar estratégias de interpretação e encenação da sua versão do depoimento original, para uma apresentação pública no final do processo”, refere.

O projeto "Noite Fora" acontece há sete anos. Vinte artistas foram chamados a dirigirem 20 sessões, que contaram com a participação de 19 autores, sendo que alguns coincidem com os artistas que dirigem e de 50 intérpretes da região de Viseu convidados a interpretarem os textos.