Geral

28 de 07 de 2022, 16:17

Cultura

Escolas ajudam Museu Nacional Grão Vasco

Visitas de alunos ajudam a explicar aumento no número de entradas no museu do centro histórico de Viseu, que prepara uma nova exposição para setembro

Museu Grão Vasco viseu

A diretora do Museu Nacional Grão Vasco, Odete Paiva, está satisfeita com o aumento dos visitantes, que duplicaram no primeiro semestre deste ano. Entre os meses de janeiro e junho, o espaço museológico situado no centro histórico de Viseu registou 14.723 entradas, um número superior face aos 7.391 alcançados no período homólogo de 2021.

Odete Paiva fala de um “aumento significativo” que também é superior em comparação com os dados de junho de 2020, “quando tivemos cerca de 11.500 visitantes”. Os números estão a aumentar cerca de 20 por cento.

Segundo a diretora, a subida foi motivada essencialmente pelas visitas de escolas no âmbito de iniciativas realizadas a propósito da educação artística “com agrupamentos de escolas e um projeto desenvolvido com a Direção-Geral da Educação e embaixadores, trazendo muitas crianças”.

Mesmo assim, os números registados até agora estão ainda abaixo em comparação com o período pré-pandemia.

“Estamos quase a metade de 2019. Em junho, nós tínhamos cerca de 33 mil visitantes. Ainda estamos a recuperar e também porque conseguimos atrair novos públicos, o que é muito satisfatório para nós. Não sabemos quando vamos chegar aos valores de 2019, mas estamos a trabalhar para isso todos os dias e a tentar motivar a vinda de miúdos mais novos”, refere Odete Paiva.

Nesta altura de verão, a maioria dos visitantes quer ver o acervo e os quadros de Vasco Fernandes, o pintor de Viseu conhecido como Grão Vasco. Já depois das férias, o Museu Nacional vai abrir uma nova exposição no início de setembro. Essa mostra, revela Odete Paiva, terá “um perfil internacional e muito virado” para o público de Espanha.

“A exposição está ligada a um grande escultor espanhol, Mariano Benlliure, que tem uma relação muito próxima com a cidade de Viseu, como vamos demonstrar nesta exposição”, explica a diretora, que acrescenta que, para esta mostra, estão a procurar objetos que pertencem a coleções privadas.

“Temos uma relação com a Fundação Mariano Benlliure, em Madrid, e estamos a trabalhar muito para que, em setembro, tenhamos uma nova proposta que traga ao Museu os viseenses e também quem nos queira visitar”, conclui Odete Paiva.

Ao todo, os museus, monumentos e palácios nacionais registaram mais de 1,5 milhões de visitantes no primeiro semestre de 2022, cerca de um terço abaixo de valores de 2019, mas em gradual recuperação.