Geral

19 de 05 de 2024, 17:00

Cultura

Espólio da EPHEMERA exibido na ESEV em celebração dos 50 anos do 25 de Abril

A exposição, composta por cartazes artesanais de manifestações feitas em Viseu, conta com cerca de 20 unidades de um total de 1000 já recolhidas pelo arquivo

Fotógrafo: Henrique Soares

Está em exibição, na Escola Superior de Educação de Viseu, a exposição de cartazes artesanais criada a partir do espólio do arquivo privado EPHEMERA. A exposição, composta por cartazes artesanais de manifestações feitas em Viseu, conta com cerca de 20 unidades de um total de 1000 já recolhidas pelo arquivo. “Este conjunto de cartazes foram doados por um colecionador que os recolhe no final das manifestações que têm acontecido nos últimos anos em Viseu. Cerca de 200, os cartazes pertencem às mais diversas manifestações, desde a que se lixe a troika até às mais recentes”, informa José Fernandes, voluntário do ponto de recolha do EPHEMERA no Instituto Politécnico de Viseu.

Desenvolvido através da coleção privada de José Pacheco Pereira, o arquivo EPHEMERA possui pontos de recolha por todo o país, esforçando-se por divulgar o seu acervo e promover a preservação dos arquivos privados. Dinamizado por voluntários, o arquivo conta já com seis quilómetros de estantes e armários carregados dos mais variados documentos e objetos, sendo considerado o maior arquivo privado de Portugal.

Os cartazes podem ser vistos no átrio principal da ESEV pelo público em geral, permitindo a qualquer um realizar esta pequena viagem no tempo. “Queria prestar o meu profundo agradecimento e reconhecimento pelo trabalho desenvolvido para afirmar os 50 anos do 25 de abril. Agradeço de uma forma especial aos nossos estudantes e corpo docente em geral, pelo seu trabalho inestimável. A ESEV não se fecha sobre si mesma e todos os eventos são abertos à população”, afirmou Cristina Azevedo Gomes, presidente da ESEV.

“Estou reformado e isto é o meu entretém. Estou interessado em aprender e estes materiais, como livros e cartazes, são uma ótima fonte de conhecimento”, reforçou ainda José Fernandes. O ponto de recolha do arquivo EPHEMERA em Viseu, também se encontra aberto ao público. O contacto pode ser adquirido no código QR presente na folha de sala da exposição.