Carlos Eduardo

16 de 06 de 2024, 17:02

Desporto

''Ganhar este Europeu era fazer-se justiça a uma geração de futebolistas que merece muito''

Cláudia Lopes avançou para um podcast com duas amigas para falarem de futebol. Lançámos-lhe, então, o desafio de palpitar. Além de antever resultados, a apaixonada pelo futebol 'sem amarras', deixa a lista de jogadores que não vai perder de vista. A comentadora de 'À Bola com elas' deixa o 11 ideal de Portugal e elenca os favoritos a levantar o 'caneco' a 14 de julho

E chegou a hora. É chegado o momento de renovar esperanças ou de compor pessimismos. O Campeonato da Europa de futebol começa esta sexta-feira, 14 de junho. Se o leitor está com muita esperança em Portugal na maior competição de seleções da Europa, devemos lembrar-lhe que a seleção lusa perdeu uma final, a jogar em casa, diante da Grécia, uma equipa que estava longe de entrar no lote das favoritas. Foi em 2004.

Se, por outro lado, as suas expectativas estão na maré de baixo, recordar-lhe que Portugal ganhou um Europeu em França, a jogar contra França, no prolongamento com um golo de Éder num jogo que Ronaldo abandonou por lesão. Comprovou-se em ambos os casos que não há certezas absolutas. Mas há sempre tempo para arriscar nos palpites.

Cláudia Lopes lançou com Bruna Morais e Jacqueline Fernandes um projeto que quis arrojar no comentário desportivo em Portugal. Este grupo de amigas formou o “À Bolas com Elas”, iniciativa da Casa do Concelho de Castro Daire. O programa discute táticas, escolhas, melhores e piores momentos, os golos mais entusiasmantes. Nada lhes escapa.

É preciso jogar em equipa, apela Cláudia Lopes
E para Cláudia Lopes, Portugal pode ambicionar levantar a taça. “Podemos chegar longe”, começa por dizer. A certeza é tal, que Cláudia Lopes não admite menos do que a passagem do grupo em primeiro lugar. “Temos equipas para isso. Basta que o selecionador consiga fazer um bocadinho melhor, basta só um bocadinho, que o Fernando Santos”, afirma.

A comentadora sempre foi crítica do trabalho do antigo selecionador nacional, a quem acusava de ser demasiado conservador. “Dá-me impressão que ainda não chegou uma pessoa com garra e inteligência suficiente para pôr estes jogadores a jogar como equipa. Vamos ver se o Roberto Martínez consegue fazer isso. O que me deixava possessa no Fernando Santos era a incapacidade que ele demonstrava de arriscar”, lembra.

Portugal é favorito, mas... Alemanha, França e Inglaterra também espreitam
Apesar de ver potencialidades em Portugal, seleção que coloca como favorita a ganhar o Europeu, Cláudia Lopes não esquece a capacidade de outras seleções que também vão concorrer pelo título. E a Alemanha é um dos mais fortes candidatos na opinião da comentadora de futebol. “Primeiro, porque tem uma equipa fantástica, depois porque está a jogar em casa. A França também é muito forte e acho que a Inglaterra também tem uma equipa muito boa. Tendo em conta que temos uma Alemanha e uma França, não ponho a Itália, apesar de campeã em título, nos quatro primeiros”, justifica, vincando que Portugal está entre os favoritos.

Há três portugueses que podem despontar, mas há um craque espanhol a não perder de olho
Entre os jogadores que se podem destacar e nos quais deposita expectativas, Cláudia Lopes elege três na equipa lusa. “Acredito que o João Neves tem tudo, mesmo tudo, para fazer um grande campeonato europeu. E tenho a certeza de que o Vitinha vai ser um dos melhores. O Francisco Conceição, depende. Se jogar, sim”, sublinha. “Não acredito que o Francisco Conceição vá ter muitas hipóteses. Vejo o Roberto Martínez já muito conservador. Vamos ver se não me engano. Dá-me a impressão de que agarra numa equipa e a mantém, sem mexer”, lamenta.

Para Cláudia Lopes, Portugal deveria avançar com um onze 'de gala' para o primeiro jogo, já na próxima terça-feira, às oito da noite, hora portuguesa, diante da Croácia. Diogo Costa – Cancelo - Rúben Dias – António Silva – Dalot - Bruno Fernandes – Vitinha – Bernardo Silva - Rafael Leão – Diogo Jota – Ronaldo.

Mas nem só em Portugal está o foco da comentadora de “À Bola com Elas”. “Há um jogador espanhol que vejo a destacar-se: o Lamine Yamal, do Barcelona, vai ser uma sensação e poderá vir a ser o Europeu dele. Gosto muito do Camavinga, o médio de França. De Inglaterra destaco o Bellingham, é muito completo”, detalha.

Final perfeita era um Portugal - Alemanha
E como numa boa conversa sobre bola, há sempre lugar aos palpites, pedimos só à Cláudia Lopes os resultados que Portugal fará na fase de grupos. E aqui estão eles: Portugal 3-0 Chéquia | Turquia 1-2 Portugal | Geórgia 0-4 Portugal

Já a olhar muito, muito à frente, Cláudia Lopes não tem dúvidas em eleger a final que queria ver a 14 de julho. “A minha final de sonho seria Portugal – Alemanha. Era para tentar uma vingança. Já tivemos uma vingança com a França, agora seria a vez da Alemanha”, diz, entre risos.

Para que essa final seja possível, Cláudia Lopes conta com a qualidade dos jogadores que o selecionador tem à disposição. "Temos um plantel fantástico. Temos tido nos últimos anos e vamos ver se repetimos 2016. Era agora ou nunca”, assinala.

Ronaldo deve ser titular, defende Cláudia Lopes
“Ganhar este europeu seria um prémio para o Cristiano Ronaldo e para o Pepe. O Ronaldo ainda pode fazer mais um mundial, mas Europeu… Provavelmente vai despedir-se dos Euros e seria uma despedida em grande. É uma geração de futebolistas que merece muito. Nós somos muito bons”, elogia a adepta de futebol.

E é sobre Cristiano Ronaldo, capitão da seleção nacional e melhor marcador de toda a história do futebol português e um dos melhores artilheiros de sempre, que Cláudia Lopes se debruça e responde a uma das questões mais prementes. Afinal, deve ou não Cristiano ser titular? “Ronaldo a titular, sim. Continuo a achar que o Ronaldo confere confiança necessária ao grupo. É um elo de ligação entre selecionador e jogadores. A presença do Ronaldo vai estimular os atletas”, defende.

Apesar de ser da opinião de que CR7 merece a titularidade, Cláudia Lopes reconhece que o papel do selecionador nacional não estará facilitado. "O Martínez vai ter de ter muito tato nisto. Se o Ronaldo jogar a titular e sair, dando lugar a outro aos sessenta minutos, por exemplo, Portugal pode ser uma boa equipa. Mas Portugal também pode ter qualidade se o Ronaldo ficar no banco. No entanto, defendo que, jogando, Portugal, não vai jogar pior por ele lá estar”, vinca.

O leitor tem agora na página seguinte a oportunidade de dar asas à capacidade de acertar nos resultados dos jogos. A Cláudia Lopes deu o mote para as partidas de Portugal na fase de grupos. Há que lembrar, porém, que, tal como dizia João Pinto, que vestiu a camisola do FCPorto, 'prognósticos, só no final do jogo'. Divirta-se e que a bola comece a rolar.