Geral

10 de 07 de 2024, 19:00

Diário

Ex-ministro da Educação na Escola Superior de Tecnologia de Viseu

Nuno Crato vai dar oração de sapiência na apresentação do Programa para a Inovação e Formação Pedagógica da escola

nuno crato ipv

Fotógrafo: Instituto Politécnico de Viseu

A Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu (ESTGV) vai apresentar no próximo dia 16 de julho o seu Programa para a Inovação e Formação Pedagógica numa sessão que terá a presença de Nuno Crato, ex-ministro da Educação.

A apresentação está marcada para as 14h30. O programa vai apostar em formações teóricas e práticas aos professores da escola superior, focando-se em áreas como a inteligência artificial, a cocriação, a investigação e desenvolvimento, os novos ambientes de aprendizagem e a gamificação (aplicação de técnicas de jogos noutros contextos).

As ações de formação visam a valorização e capacitação pedagógica dos docentes e vão decorrer no próximo ano letivo.

A ESTGV convidou académicos da escola, de outras unidades do Instituto Politécnico de Viseu e de instituições de ensino superior nacional para participarem como formadores, cobrindo os vários domínios abordados nas formações.

No evento de apresentação do programa, que tem entrada livre, Nuno Crato irá dar uma oração de sapiência acerca do tema "Devemos ter em conta a ciência quando ensinamos ciência?". O professor catedrático jubilado da Universidade de Lisboa irá também participar numa mesa redonda com o presidente do IPV, José Costa, e os dirigentes da ESTGV.

O presidente do conselho pedagógico da escola, José Luís Abrantes, defende que “os tempos atuais, com as mudanças aceleradas à vista de todos, são extremamente desafiantes para o ensino, e o ensino superior em particular”.

O responsável sublinha ainda a necessidade de formar os professores da ESTGV perante as mudanças que se fazem sentir nos dias de hoje. “A par da qualificação técnico-científica de excelência do seu pessoal docente, tem de estar constantemente a adaptar-se e a atualizar-se sobre os desafios emergentes do ensino-aprendizagem”, complementou.