Geral

21 de 07 de 2021, 18:00

Especiais

Autárquicas: candidato independente quer juntar pessoas em torno do futuro de Armamar

Jorge Rodrigues encabeça o movimento Juntos por Armamar, que conta com o apoio do PS para tentar retirar o PSD do poder na Câmara

jorge rodrigues armamar autárquicas

O empresário Jorge Rodrigues encabeça a lista de cidadãos independentes Juntos por Armamar, que conta com o apoio do PS para tentar retirar o PSD do poder nas próximas eleições autárquicas.

Segundo Jorge Rodrigues, que nas eleições autárquicas de 2017 foi eleito vereador pelo CDS, o movimento independente resulta de uma “profunda e longa ponderação que teve diversos contributos e que colhe diversos apoios”.

O objetivo é “aglutinar todas as pessoas em torno de uma causa”, sendo essa causa “o futuro de Armamar”, justificou.

No entender de Jorge Rodrigues, é preciso “mudar o rumo” de Armamar que, comparativamente a outros da região do Douro, “atrasou-se significativamente”.

O movimento quer conquistar o poder nas próximas eleições, de forma a transformar Armamar num “lugar de excelência para viver, trabalhar, investir e para o turismo”.

Os seus eixos estratégicos assentam em serviços públicos de excelência, em programas e investimentos direcionados para os vários escalões etários, de forma a fixar e atrair pessoas, e numa agricultura de excelência, para que os seus produtos agrícolas sejam reconhecidos como os melhores do mercado e produzidos com práticas reconhecidamente sustentáveis.

O turismo rural é outra das apostas, uma vez que o movimento considera que “Armamar é o concelho da região do Douro com mais potencial turístico, em função da sua localização privilegiada (junto à autoestrada A24) e ao Rio Douro (Estrada Nacional 222) e do riquíssimo património natural e paisagístico e da diversidade de culturas agrícolas”.

“Para potenciar a marca ‘Armamar Melhor Destino Rural do Douro’ e alavancar o setor privado (alojamento, restauração, produtos endógenos, comércio e serviços) é preciso apostar na promoção do destino e na qualificação dos agentes, tirando partido das potencialidades da tecnologia e do digital”, defende.

Também a aposta na cultura se assume como uma prioridade, uma vez que “Armamar é um dos concelhos do Douro com menos infraestruturas culturais e onde não existe um programa cultural minimamente comparável ao que é feito noutros municípios”.

O atual presidente da Câmara de Armamar, João Paulo Fonseca, vai recandidatar-se ao seu terceiro e último mandato.

Nas últimas eleições autárquicas em 2017, o PSD reconquistou o poder com 54,73 por cento dos votos, conseguindo três mandatos, e o CDS-PP foi o segundo partido mais votado, com 20,53 por cento dos votos (um mandato). O PS obteve 15,01 por cento dos votos (um mandato).