Geral

21 de 01 de 2024, 11:30

Lifestyle

Carro histórico da Inglaterra está no Museu do Caramulo

Museu do Caramulo reforça a sua coleção de automóveis com um AC Six de 1927, que marcou a história do automobilismo do Reino Unido

AC Six museu do caramulo

O Museu do Caramulo voltou a reforçar a sua coleção de automóveis, desta vez com um AC Six de 1927, um carro que marcou a história do automobilismo do Reino Unido e que tem quase 100 anos.

O automóvel clássico, comprado por Elias Frederico Bensaúde Abecassis em 1927, foi mantido pela sua família até hoje e foi agora doado ao museu do concelho de Tondela pela bisneta Diana Jardim Abecassis.

“É impossível falar no AC Six sem falar no seu motor de dois litros de capacidade, um dos blocos com maior longevidade que a indústria inglesa alguma vez produziu. Estreado em 1919, o motor foi sendo sucessivamente adoptado por modelos da AC Cars, terminando a sua carreira no compartimento do AC Ace, em 1963”, conta o Museu do Caramulo.

Desenvolvido durante a Primeira Guerra Mundial por John Weller, um dos fundadores da marca de automóveis, o bloco de dois litros era bastante avançado para a sua época e, mesmo na década de 1960, mantinha-se atual. O carro chegava a debitar 40 cavalos de potência.

Para promover os seus automóveis, a AC atingiu durante a década de 1920 alguns recordes de velocidade em provas como a de Brooklands. Mas seria a vitória do piloto Victor Bruce no Rally de Monte Carlo, em 1926, que traria maior fama à marca. Um ano antes, a AC Cars foi a primeira construtora inglesa a inscrever um modelo no famoso rali do Mónaco.

Em 1927, Mildred Bruce, a esposa de Victor Bruce, cruzaria a meta da mesma prova de Monte Carlo no sexto lugar, vencendo a rampa organizada nesse ano e a Coupe des Dames.