23 out
Viseu

Cultura

Músico angolano quer "abanar corpos e animar cabeças" em Tondela

por Redação

17 de outubro de 2020, 08:00

Foto D.R.

CLIPS ÁUDIO

A música angolana promete animar a ACERT, este sábado (17 de outubro), em tempos de pandemia e estado de calamidade.

O músico Chalo Correia, radicado em Portugal há 29 anos, promete fazer "abanar corpos e animar cabeças" num concerto marcado para começar às 21h45 em Tondela, trazendo a melhor tradição da música de Angola e a mais arrojada modernidade sonora.

Nascido em Luanda em 1968 e considerado um dos melhores divulgadores da música angolana na Europa e no Brasil, Chalo já conta com uma vasta carreira com espetáculos nacionais e internacionais na Europa, África, Ásia e nas terras de Vera Cruz e nos mais conceituados festivais de músicas do mundo.

Lançou, em 2015, o álbum "Kudihohola". Aquele que foi o seu primeiro álbum de estúdio fez sucesso de tal forma que Chalo Correio foi nomeado para os Angolan Music Awards de 2016. Dois anos mais tarde, é lançado "Akuá Mussque".
Segundo este cantautor, a sua música representa o legado de músicos históricos do país angolando como os Ngola Ritmos, David Zé, Urbano de Castro e os Kiezos.

"A minha paixão pela música surgiu quando era criança, devia ter 4 ou 5 anos. A minha mãe comprou-me uma pequena viola de plástico e eu fiquei a tocar, a experimentar… A minha mãe, apesar de não ser cantora, quando fazia qualquer coisa estava sempre a assobiar. Eu acho que podem ser essas as influências que eu tive. A viola de plástico ficou comigo durante muito tempo e, quando cresci, não havia violas em Angola, era muito difícil, então nós construíamo-las", diz o músico - que apenas fez um pequeno espetáculo em Angola e está agora a preparar o terceiro disco - numa entrevista recente.

Autodidata e com um processo criativo que o viu criar várias músicas durante a atual pandemia, Chalo foi influenciado pelas músicas das décadas de 1960 e 1970 para criar uma nova abordagem a este género através de uma linguagem muito peculiar e essencialmente acústica.

A sua música caracteriza-se por ser orgânica e explosiva, mesclando vários estilos tradicionais como semba, rebita, rumba ou cazucuta com uma abordagem musical contemporânea.

É com uma cada vez maior abertura musical para as canções angolanas em comparação com a época colonial e uma maior adesão do público que Chalo Correio chega este sábado a Tondela.

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts