04 dez
Viseu

Cultura

O Teatro e os amigos de volta à Serra do Montemuro. Altitudes, de 8 a 15 de agosto

por Redação

01 de agosto de 2020, 07:30

Foto Arquivo Jornal do Centro

CLIPS ÁUDIO

A serra do Montemuro volta a ser palco, entre 8 e 15 de agosto, da 22ª edição do Festival Altitudes. O Teatro do Montemuro, companhia organizadora, aproveita o Festival para celebrar os seus trinta anos de existência.

A abertura acontece com a apresentação de um livro de Abel Neves (dramaturgo e romancista, fundador do grupo). “Foi um convite feito ao Abel para escrever uma obra que fosse intemporal, mas que bebesse na história do Teatro do Montemuro”, revela Paula Teixeira, membro da entidade organizadora. A noite culmina com a apresentação da ACERT.

Para além de contar com companhias como o Peripécia Teatro e o Teatro da Palmilha Dentada, que têm vindo a marcar presença assídua no Festival ao longo dos anos, a edição deste ano é “um pouco mais diversificada”, revela.

No dia 12, as Capuchinhas, uma cooperativa de artesanato local, irão desfilar na Escola Primária de Rossão, acompanhadas pelos músicos Gonçalo Alegre e Rui Sousa. No dia 13 irá dar-se a estreia nacional do concerto de multimédia “Quem Fala Assim” da estrutura Interferência e, por fim, no último dia, o Festival encerra com a presença internacional de um grupo espanhol.

Devido ao momento de pandemia que o país atravessa, a lotação diária esperada, que nos anos anteriores rondava as 200 pessoas, “desce para metade”. Os espetáculos serão intercalados entre a sala do Teatro do Montemuro e o exterior, sendo que a sala será desinfetada diariamente pelos Bombeiros de Castre Daire.


 

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts