02 Jul
Viseu

Cultura

Cubo Mágico com mais de 500 propostas culturais para o verão de Viseu

por Redação

29 de Junho de 2020, 17:23

Foto Igor Ferreira

Projeto foi apresentado esta segunda-feira. Iniciativa assume-se como um "programa alternativo e seguro"

CLIPS ÁUDIO

São mais de 500 as propostas ao longo de 63 dias que fazem o programa do Cubo Mágico, o evento que, entre 21 de julho e 21 de setembro, pretende dar uma nova dinâmica a Viseu nestes tempos de pandemia.

O presidente da Câmara, Almeida Henriques, apresentou esta segunda-feira (29 de junho) a programação da nova iniciativa, que terá atividades para todos os gostos.

O autarca diz que o objetivo do novo evento passa por apresentar “um programa de Verão alternativo e seguro”. “Também tem como objetivo impulsionar a retoma da economia e ajudar o comércio, os restaurantes, os hotéis e as indústrias criativas nestes momentos difíceis para todos nós”, refere.

A Rua Direita vai ganhar um novo centralismo nos próximos dois meses, com a reocupação de 15 lojas devolutas “mais a utilização de um conjunto de outras lojas para superfícies promocionais e de decoração”, anuncia Jorge Sobrado, vereador da Cultura e do Turismo no município.

“Vai ser estruturado em três bairros: sabores, artes e freguesias. As nossas 25 freguesias são atraídas até à Rua Direita para apresentar a sua economia, agricultura, tradições e indústria e aquilo o que sabem fazer”, explica.

Este ano não há Feira de São Mateus, mas, segundo Jorge Sobrado, o certame franco vai ser lembrado com várias iniciativas que vão ser resgatadas. Para começar, o Mercado das Enguias, que estará patente no Mercado 2 de Maio e o Bairro da Restauração no recinto da Feira, “com alguns restaurantes, mas não todos, em modo ‘safe & clean’”.

“As farturas, também em número mais mitigado, irão reabrir. Haverá miniconcertos controlados, em que, ainda que sejam gratuitos, terão um sistema obrigatório de pré-reserva digital, bem como um número muito mais reduzido de diversões no recinto da Feira desde que a legislação em vigor o permita”, acrescenta o vereador.

No ano em que Viseu se afirma como destino de fotografia e cinema, a programação também aposta forte nestas áreas. Jorge Sobrado diz que Viseu vai ter, no recinto da Feira Semanal, uma sala de cinema “drive-in” com a apresentação de Mário Augusto.

“Iremos também ter cinema ao ar livre nomeadamente no centro histórico, no Parque Aquilino Ribeiro. O Shortcutz [evento de curtas-metragens] irá ter uma programação específica e integrada no Cubo Mágico”, acrescenta o vereador.

O Cubo Mágico inclui ainda concertos, com músicos sobretudo de Viseu, street art e a exposição “Público, 30 anos de fotografia” na Casa da Calçada que já está patente.

O presidente da Associação Comercial de Viseu, Gualter Mirandez, acredita que este evento pode ajudar a resolver alguns problemas dos comerciantes da cidade. “Não digo que vai resolver todos os problemas, mas pode transmitir uma imagem de autoestima por forma a que comerciantes acreditem que melhores dias virão”, refere.

Já Jorge Loureiro, presidente de delegação de Viseu da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal, diz que é preciso dar segurança aos turistas e defende que Viseu deve afirmar-se como um destino seguro e limpo.

“Há aqui um trabalho que temos de fazer e que tem a ver com a exibição do selo ‘Clean & Safe’ [do Turismo de Portugal]. Ele centra-se, em si mesmo, num conjunto de valores de segurança que, hoje, é decisivo para a escolha de um destino e acho que é uma ideia que devemos prosseguir”, refere o empresário.

Entre 21 de julho e 21 de setembro, 18 locais da cidade vão acolher a programação do Cubo Mágico, sendo metade de cariz cultural - como exposições, oficinas, micro-espetáculos, teatro de rua ou cinema ao ar livre - e outra metade virada para uma experiência turística, onde estão previstas iniciativas associadas à gastronomia ou aos vinhos.

O investimento público é de cerca de meio milhão de euros no Cubo Mágico, sendo que a Câmara de Viseu tem a perspetiva de vir a ter um apoio de 350 mil euros de fundos comunitários para este evento.

Para além das atividades já definidas no Cubo Mágico, haverá também um conjunto de "ações-satélite" em freguesias mais periféricas de Viseu, que ainda está a ser programado.

O Cubo Mágico foi pensado para lojistas, mas também para os residentes locais, turistas e emigrantes. O evento vai decorrer em 18 locais diferentes. A organização alerta que a pandemia da Covid-19 pode implicar mudanças e até mesmo cancelamentos.

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts