02 Jul
Viseu

Desporto

Ex-treinador do Académico quer estar na Primeira Liga

por Redação

30 de Junho de 2020, 17:58

Foto Arquivo Jornal do Centro

CLIPS ÁUDIO

O técnico de futebol Ricardo Chéu diz que quer voltar à Primeira Liga, ele que já treinou o Académico de Viseu. A afirmação foi dita depois de o treinador de 39 anos ter saído da Eslováquia, onde permaneceu na última época no comando técnico do Spartak Trnava, com quem tinha assinado um contrato válido por duas temporadas.

O treinador estava há um ano e meio neste país da Europa de Leste, mas decidiu abandonar o projeto que tinha abraçado na última temporada e quer agora tentar a sorte em Portugal.

Em declarações ao Jornal do Centro, o treinador diz que saiu do Spartak Trnava por causa dos problemas que surgiram com a pandemia da Covid-19. No entanto, sublinha que o percurso no clube tem sido marcado por uma boa trajetória.

“Fomos para o Spartak Trnava e as coisas correram muito bem. Jogámos a Liga Europa com exibições muito bem conseguidas. No campeonato, tínhamos o objetivo de lutar pelos seis primeiros lugares. Acabámos na quarta posição, com lugar direto para a Liga Europa, mas a verdade é que, com a Covid-19, as coisas foram completamente alteradas”, relata.

Ricardo Chéu acrescenta que o clube eslovaco “foi obrigado a dispensar os jogadores mais importantes”. “Senti que o projeto ambicioso que estávamos a construir estava a ser abandonado a meio, uma vez que o objetivo da próxima época era lutar para ser campeão”, refere.

“Achei, por bem, chegar a acordo com a direção do clube, que agradeceu todo o empenho e trabalho, mas como procurava algo ambicioso, isso não era mais possível em função desta nova crise. Por isso, decidi abandonar o projeto”, diz.

Ricardo Chéu, que orientou o Penafiel quando a equipa estava na Primeira Liga portuguesa em 2014, diz que quer estar novamente no principal campeonato do futebol nacional por tudo o que passou no passado e por aquilo que "já produzi em função dos projetos que tive no passado recente”.

No entanto, o treinador também não fecha as portas a uma nova experiência no estrangeiro ou mesmo, novamente, na Segunda Liga, onde orientou o Académico de Viseu.

“Não vou estar eternamente à espera da Primeira Liga. Vou perceber o que é que o mercado me pode oferecer. Se tivesse de aceitar um projeto da Segunda Liga, teria de ser com a perspetiva de andar nos lugares cimeiros e não de andar sempre com objetivos modestos. Chegou a altura de querer algo mais para a minha carreira”, garante.

Quanto à realidade do futebol português, Ricardo Chéu diz que, apesar de ainda se notar diferenças entre os três grandes e as restantes equipas, os clubes já se encontram mais nivelados. Mas, o treinador diz ainda que a modalidade em Portugal peca por alguma falta de qualidade.

“Vê-se que os clubes estão a olhar muito para a vertente financeira e tentar com que jovens ativos possam render dinheiro, para que tenham estabilidade para poderem investir no futuro em equipas mais fortes e que possam atacar objetivos mais ambiciosos até na Europa. A verdade é um bocado essa”, remata.

Ricardo Chéu treinou o Académico de Viseu nas épocas 2013/2014, 2014/2015 e 2015/2016.

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts