06 Ago
Viseu

Desporto

O que é o desporto universitário? Sabia que em Viseu há campeões?

por Redação

01 de Agosto de 2020, 08:30

Foto Arquivo Jornal do Centro

CLIPS ÁUDIO

Muitos são os atletas que ao seguirem os caminhos do ensino superior deixam a prática desportiva de lado.

O principal motivo para esta situação é a incompatibilidade destes dois estilos de vida, principalmente quando os jovens se deslocam da sua região para outra totalmente distinta.

Mas será que é necessário “congelar a vida de atleta”? Não! Existem algumas opções a ter em conta.

Em primeiro, estes poderão tentar arranjar clube na área para onde foram estudar, ou participar no desporto universitário.

Mas o que é o desporto universitário? Quando entrei na faculdade não fazia ideia de que havia um campeonato universitário” Assim o diz Sadibo Junior, jogador da equipa de futebol do IPV que em 2016 foi finalista do Campeonato Nacional Universitário de futebol de 11.

O atleta lembra que foi através de um jogo com amigos que lhe foi feito o convite para ir aos treinos da equipa de futebol do IPV. “Por acaso eu fiquei um bocado estupefacto, porque não fazia ideia de que havia uma equipa. Acabei por ir a um treino e correu bem”, recorda.

O jovem olha para esta experiência como uma boa oportunidade de continuar a praticar a modalidade fora da sua área de residência. “Eu sempre tinha presente que saindo de Aveiro e vindo para Viseu, não me ia dar jeito estar a jogar num lado e a estudar em outro. Então pus na cabeça que ia tentar arranjar algo em Viseu”, afirma.

Mas se tivéssemos de encontrar uma explicação para o que é o desporto universitário e as suas finalidades, qual seria?

Para Ana Pinto, presidente da Associação de Estudantes da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu e responsável pela secção do desporto universitário, a finalidade é a de representar a instituição, enquanto que para os atletas, que não têm clube, é uma forma de através do desporto universitário criarem as bases para mais tarde terem a possibilidade de ingressar num clube federado. “Basicamente, abre portas para o futuro deles como desportistas”, diz.

Aquilo é um ambiente espetacular”

É desta forma que Sadibo Junior recorda as concentrações do Campeonato Nacional Universitário de futebol de 11. Lembra que teve o prazer de conhecer os melhores jogadores que estão em Viseu e que ainda competem. “Isso, só por aí, dá para ver a magnitude do futebol universitário”, acrescentando ainda que logo no primeiro torneio “deu para ver as faculdades todas ali e havia mesmo muita gente. Tinha jogadores com todas as caraterísticas. Havia tudo e mais alguma coisa, por assim dizer”, reforça.

Uu penso que o desporto em si é uma terapia”

O jovem, natural de Aveiro, diz ser 100% a favor da prática. Olha para o desporto como uma mais valia, principalmente para quem começa os estudos no ensino superior e se sente um pouco “perdido”. Quando se encontra algo que complemente “no momento em que estejas mais stressado, pode te ajudar a desanuviar”, realça.

Na sua opinião, deveria existir uma maior abertura e divulgação. “Se calhar os pais não sabem o que é, os alunos chegam e também não sabem o que é, outros nem sequer sabem que existe e acho que deveria haver uma divulgação bem maior”, finaliza.

Provavelmente a pergunta que surge na cabeça de muitos e que se torna um impeditivo para não experimentarem o desporto universitário é se existe um estatuto atleta-estudante?

Sempre existiu”, diz Ana Pinto. “Agora, recentemente, eu enquanto presidente e responsável pelo desporto, consegui chegar a um consenso em que se o aluno tivesse objetivos a instituição iria premiar com bolsa de mérito”. A bolsa consiste em a instituição pagar uma percentagem das propinas. Contudo, “para isso eles têm de cumprir os treinos obrigatórios, tem de ir às jornadas de concentração e se classificarem naquilo que é proposto pela instituição”, explica.

Ana Pinho revela ainda que os custos são suportados pela associação de estudantes da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu. “Eu apresento um plano de atividades na instituição em que diz que eu tenho um x de custos com o desporto e eles financiam uma percentagem”, explica.

Por fim, em relação à prática para o próximo ano, está tudo previsto para as competições começarem nas datas habituais.


 

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts