27 jan
Viseu

Nelas

Nelas: Feira "virtual" do Vinho do Dão em setembro

por Redação

06 de agosto de 2020, 17:53

Foto Arquivo Jornal do Centro

CLIPS ÁUDIO

Está decidido. A Feira do Vinho do Dão, em Nelas, vai ser virtual. Uma nova realidade assumida por Borges da Silva, presidente da Câmara Municipal, que tomou como opção avançar com um evento digital a partir do momento que na quarta-feira (5 de agosto) os produtores, engarrafadores e vitivinicultores começaram a receber um convite com uma ficha de inscrição para participarem no evento através de suportes digitais. O evento tem data marcada para o primeiro fim-de-semana de setembro, nos dias 4, 5 e 6.

Segundo o teor do email enviado pelo presidente da Câmara de Nelas, "a nossa economia não pode num momento crucial como este, ficar estagnada, motivo pelo qual temos todos de nos unir e apoiar".

 "Após uma maturada reflexão, o executivo tomou a decisão de realizar a 29º Feira do Vinho do Dão, optando por um formato digital/online que promova com segurança o que de melhor se produz em termos de Vinhos do Dão no nosso concelho e Região. Esta iniciativa será o esforço promocional que o executivo sente que é de sua responsabilidade assumir perante V. Exas., que ao longo destas quase três décadas têm contribuído para enaltecer esta Festa/ Feira do Vinho do Dão”, lê-se na comunicação. 

No email é ainda explicado que está a ser preparada uma plataforma online onde cada um poderá apresentar e vender os vinhos, bem como a criação de uma Rota Regional dos Vinhos da Feira para dar a conhecer as quintas, adegas e vinhas, “impulsionando ainda mais o turismo de proximidade”.

Á semelhança dos anos anteriores, irá ser realizado o concurso de Vinhos da Feira - Troféu Eng.º Alberto Vilhena.

Na última reunião do executivo foi apresentada a sugestão de se manter a realização presencial da Feira, "com um certame mais reduzido, cumprindo as regras e recomendações da Direção-Geral de Saúde, designada por "Mercado de Vinhos".

Um dos defensores do "Mercado de Vinhos", em formato presencial, é o enólogo e produtor da empresa Palwines e da Quinta dos Três Maninhos. Pedro Borges acha que esta nova proposta "permite a presença dos produtores com os seus expositores, com corredores limitados de passagem, com separadores para proteger os produtores, bem como os próprios consumidores/clientes, cuspideiras móveis, em que cada um teria a sua, copos próprios, no fundo, para dar algum ar de normalidade que é absolutamente fundamental para o setor, um dos mais afetados pela pandemia do Covid-19".

"Estamos a falar de um setor em que a maioria dos agentes económicos correspondem a pequenas quintas que, ao contrário dos grandes produtores que tiveram efetivamente um aumento das suas vendas de vinho, fruto dos supermercados e da grande distribuição, isso não aconteceu com os pequenos agentes económicos da região do Dão", sustentou o enólogo.

Foram várias as propostas avançadas para a realização desta feira. O Grão Mestre da Confraria dos Enófilos do Dão e produtor, José Perdigão, defende "a tradição e o modelo encantador da proximidade", mas também a parte virtual. "Há-de haver clientes e visitantes da Feira do Vinho do Dão que não querem vir este ano presencialmente e então aí a Feira Virtual cumpre a sua função. Juntando as duas acabamos por ter a resposta mais interessante, mais rica e partilhada para essa nova festa, até porque as duas não são incompatíveis", rematou.

Já Sónia Martins, enóloga da Lusovini, quer um evento que "melhor possa servir os interesses de todos, produtores e clientes, com base na segurança".

Uma opinião partilhada por Fernando Figueiredo, presidente da União das Adegas Cooperativas do Vinho do Dão. O responsável diz, no entanto, que se a Feira do Vinho do Dão fosse para ser realizada presencialmente, “o melhor seria que fosse adiada, para uma nova data a definir pela entidade organizadora”.

A primeira vez que o “futuro e formato” da Feira do Vinho do Dão foi abordado foi na reunião de câmara de 27 de maio.

Na altura, o presidente da Câmara de Nelas sublinhou que perante o contexto que estamos a viver, não haveria condições para ser permitida a realização da Feira nos moldes habituais e que poderia haver alterações quanto ao seu novo formato. Várias sugestões foram apresentadas, nomeadamente pelo vereador Joaquim Amaral (PSD) que também propôs a realização de uma feira virtual.

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts