26 fev
Viseu

GERAL

Confinamento: pedidos de ajuda aumentaram a partir de 15 de janeiro

por Redação

20 de fevereiro de 2021, 08:00

Foto Arquivo Jornal do Centro

CLIPS ÁUDIO

A Cáritas Diocesana, o Banco Alimentar Contra a Fome e o programa social Viseu Ajuda têm estado na linha da frente na ajuda a famílias carenciadas no distrito de Viseu. O Jornal do Centro apurou que, desde o início deste segundo confinamento, 409 famílias receberam ajuda por parte da Cáritas Diocesana e do ‘Viseu Ajuda’ e 287 pessoas tiveram apoios alimentares do Banco Alimentar Contra a Fome. 

O número crescente de famílias que pedem ajuda gera “preocupação”. Só na última semana, o Banco Alimentar Contra a Fome em Viseu recebeu 21 solicitações de famílias, num total de 53 pessoas. A responsável pelo Banco Alimentar, Fátima Ribeiro, explica que muitos pedidos “são feitos por pessoas que nunca precisaram de apoios alimentares” e que, nas últimas semanas, a procura “intensificou-se” devido ao cancelamento do ensino presencial.

“É normal que as pessoas precisem de mais ajuda, porque todo o agregado familiar está em casa. A idade das pessoas que fazem os pedidos ao Banco Alimentar varia entre os 35 e os 55 anos, muitas delas ficaram sem emprego e não conseguem arranjar meios de subsistência, sendo preocupante para o presente e para o futuro”, explica Fátima Ribeiro.

A Cáritas Diocesana de Viseu é outra das instituições que tem registado “numerosos” pedidos de famílias que precisam de apoios suplementares. Para além de doar alimentos, a instituição ajuda “no pagamento das rendas, na compra de medicamentos e oferece roupas para quem precisa”. Segundo o presidente da Cáritas Diocesana de Viseu, Felisberto Figueiredo, desde janeiro, a instituição registou 175 pedidos de famílias (579 pessoas), aos quais conseguiram “dar uma resposta positiva”.

Relativamente ao programa social “Viseu Ajuda”, os números de pedidos de apoio têm vindo a aumentar, desde que começou o confinamento geral nesta segunda fase. A vereadora da Ação Social da autarquia, Cristina Brasete, revela que o programa estava a ter uma média de três a quatro ocorrências diárias, mas a partir do dia 15 de janeiro, passou a ter uma média de sete a oito. O “Viseu Ajuda”, que é um serviço de apoio extraordinário à comunidade viseense, já ajudou 234 famílias nesta segunda fase.

Desde o início da pandemia, a Cáritas Diocesana de Viseu ajudou um total 2641 famílias, o programa Viseu Ajuda apoiou cerca de 1000 famílias e o Banco Alimentar Contra a Fome conseguiu ajudar 1982 pessoas no distrito de Viseu. 

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts