09 mar
Viseu

GERAL

Covid-19: Hospital de Campanha em Viseu começa a receber doentes esta segunda-feira

por Redação

18 de janeiro de 2021, 14:12

Foto Igor Ferreira

CLIPS ÁUDIO

O Centro Hospitalar Tondela-Viseu conta enviar, entre esta segunda e terça-feira (18 e 19 de janeiro), doentes para o hospital de campanha e estrutura de apoio de retaguarda montada no Pavilhão do Fontelo.

Esta segunda-feira, durante a manhã, estiveram reunidas no local os vários organismos que estão a gerir este equipamento e no final o coordenador para a Região Centro de combate à Covid-19, João Paulo Rebelo, admitiu que estão a ser pensadas alternativas, caso as cerca de 60 camas aqui disponibilizadas não sejam suficientes nas próximas semanas.

“Obviamente que o nosso desejo é que não seja necessária criar outra infraestrutura e que possamos contrariar esta tendência crescente de número de casos. Desejamos que esta estrutura não esgote a sua capacidade, mas de qualquer forma estão sempre pensadas alternativas no caso de haver essa necessidade”, sustentou.

O coordenador para Covid-19 admitiu que há uma grande pressão no Hospital de Viseu com mais de 215 pessoas internadas, que levou a que o Pavilhão do Fontelo, montado pela autarquia de Viseu, passasse a ser um equipamento com duas valências.

“Neste momento, o que se verificava no Centro Hospitalar é uma grande pressão com um número crescente de internados. E o que estava pensado essencialmente para ser uma infraestrutura de apoio, vai também receber doentes que não carecendo de tratamentos muito específicos, continuam a necessitar de internamento. Esta a ser feito o levantamento de quantos utentes virão para cá no dia de hoje e de amanhã. Quanto aos recursos humanos, há um despacho que enquadra estas estruturas de retaguarda, e o que aqui convive é não só a disponibilidade do ACES como do Hospital de Viseu”, sublinhou.

Os doentes para o Hospital de Campanha deverão então começar a ser transferidos durante esta segunda-feira, estando os meios de Proteção Civil (ambulâncias e bombeiros) prontos para o transporte.

Também a Administração Regional de Saúde do Centro assume que a situação mais crítica na região Centro verifica-se no Centro Hospitalar Tondela-Viseu, em que as taxas de ocupação atingiram os 100 por cento, embora todas as unidades estejam quase no limite das suas capacidades.

A mesma fonte adiantou que está também a ser preparada a abertura do antigo Hospital Militar de Coimbra, entretanto reclassificado de Centro de Saúde, que tem capacidade para 36 camas, embora "não sejam abertas todas ao mesmo tempo".

Segundo a ARSC, a abertura do Centro de Saúde Militar resulta de uma parceria com o Exército, a Proteção Civil e a Cruz Vermelha Portuguesa.

Às 23:59 de domingo (dia 17), os hospitais da região Centro contabilizavam 1.164 internados com Covid-19, dos quais 115 em unidades de cuidados intensivos.

De acordo com a ARSC, na mesma data registava-se uma taxa de ocupação de 93% em enfermarias para doentes covid-19 e 89% em unidades de cuidados intensivos.

No domingo, registaram-se na região Centro 24 óbitos em ambiente hospitalar, 118 admissões de novos doentes, uma alta hospitalar em unidade de cuidados intensivos e 24 altas médicas de enfermarias com doentes covid-19.

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts