23 out
Viseu

GERAL

“Fase complicada para as famílias, mas muito mais para os utentes”

por Redação

17 de outubro de 2020, 08:30

Foto Arquivo Jornal do Centro

Criada há mais de 50 anos a Fundação Elísio Ferreira Afonso, no concelho de Sátão, presta apoio à infância e terceira idade. Tem em construção uma Unidade de Cuidados Continuados (UCC). O presidente do Conselho de administração, José Moniz, fala da instituição

CLIPS ÁUDIO

Como surgiu a Fundação Elísio Ferreira Afonso?
Foi uma ideia de um homem, Elísio Ferreira Afonso, natural do Avelal, que muito jovem foi para o Brasil. A sorte sorriu-lhe porque com 30 ou 40 anos já era um homem rico. Não era casado e não tinha descentes diretos e decidiu criar uma fundação de apoio social. Fizemos o primeiro lar na residência do comendador, no início da década de 80, e mais tarde avançamos para a construção do segundo lar. No total temos cerca de 112 utentes. Abrimos também uma creche e jardim-de-infância e agora estamos a avançar para a construção de uma Unidade de Cuidados Continuados.

Obra que está em curso?
Sim, inicialmente pensamos em construir um novo lar, mas como no concelho de Sátão não existe qualquer Unidade de Cuidados Continuados decidimos avançar. Já apresentamos o projeto à tutela, mas como não há verbas para financiar projetos do género decidimos avançar com a obra na esperança da nossa candidatura vir a ser aprovada. Neste momento o orçamento da obra ronda os dois milhões de euros. A unidade terá capacidade para cerca de 30 utentes.

Os últimos meses de pandemia têm sido complicados para a instituição…
Muito complicado. Tivemos de nos adaptar às normas impostas pelas autoridades de saúde. Para além dos custos acrescidos associados à aquisição de materiais e produtos de desinfeção e higienização.

Uma fase complicada para as famílias e para os utentes?
Uma fase complicada para as famílias, mas muito mais para os utentes. Nós temos a sorte de ter espaços exteriores e alguns deles cobertos, o que faz com que os nossos utentes não fiquem confinados a quatro paredes.

O que espera do futuro?
O futuro a Deus pertence. Estamos focados na construção da Unidade de Cuidados Continuados. Também pretendemos remodelar as coberturas de um dos lares e da creche por causa da questão térmica.

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts