29 out
Viseu

S. Comba Dão

Da Tunísia até Santa Comba Dão foi um salto rápido

por Redação

12 de setembro de 2020, 08:00

Foto Arquivo Jornal do Centro

CLIPS ÁUDIO

Fatma Ben Moahmed, de 26 anos, é natural de Djerba, uma cidade situada a sul da capital da Tunísia, Tunis, e decidiu vir para Portugal onde é chef de cozinha e proprietária do restaurante “Lagon-Bar”, em Santa Comba Dão.

Mais conhecida por Salma Ben, como gosta que lhe chamem, saiu da Tunísia para ser chef de Cozinha, num restaurante, em Dakar, no Senegal, onde conheceu o marido de nacionalidade portuguesa, César, natural de Óvoa, concelho de Santa Comba Dão, e funcionário da Companhia dos Caminhos-de-Ferro do Senegal.

Daí até chegar a Portugal foi um salto rápido e curto.

Chegada a Santa Comba Dão, Salma Ben, com a ajuda do marido, decidiu investir no seu próprio espaço e explorar um restaurante que se encontrava fechado há dois anos, junto à Ribeira das Hortas, em plena zona histórica da cidade.

Com formação profissional do sector da restauração, sempre trabalhou nesta área, em Dakar, onde desempenhava várias funções: cozinhava, fazia atendimento e ainda era responsável pelo fecho de caixa.

Sobre Portugal, Salma acha que a Tunísia e o Senegal “têm culturas muito diferentes dos portugueses, e a diferença começa logo pela comida (gastronomia), na apresentação dos pratos, mas também no vestuário”. Lembra que, por exemplo, no Senegal usam-se as cores muito vivas, intensas e alegres. “Até parecem vestimentas de grupos etnográficos e folclóricos, mas de uma confeção artística muito rigorosa, onde a moda impõe, sempre, a tradição de uma espécie de alta costura regional”, explica.

Salma Ben admite que quando aterrou em Portugal “não sabia nada de português, nem sequer dizer “bom-dia”, e que normalmente se exprimia em francês, língua muito falada na Tunísia e no Senegal.

O que mais surpreendeu à tunisina, foram as semelhanças que a cultura portuguesa tem com os costumes, árabes. “Acho mesmo que a influência Árabe, em Portugal, é muito marcante nos comportamentos, mas também nas suas tradições e hábitos”.

“Portugal, é um bom país para se viver, pacífico, com um povo simpático e muito solidário, unido, principalmente, ao nível dos laços familiares. Reparei que as famílias portuguesas são muito ligadas entre si e que os pais, filhos e os avós, são muito apaixonados. Isto é fantástico, faz-me sentir mais protegida”, reconhece Salma Ben.

Outra característica humana e cultural dos portugueses que a tunisina destaca “são as festas tradicionais portuguesas, os bailaricos, a dança e a constante alegria à roda dos amigos e amigas, onde o riso e a gargalhada fácil, são uma constante”. “O povo português é genuinamente alegre e feliz”, remata.

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts