29 out
Viseu

Região

Há três presidentes que não se podem recandidatar em 2021

por Redação

01 de agosto de 2020, 08:00

Foto Arquivo Jornal do Centro

CLIPS ÁUDIO

Há três atuais presidentes de câmara do distrito de Viseu que não se podem recandidatar nas próximas eleições autárquicas, em 2021. São eles José Eduardo Ferreira, de Moimenta da Beira, José Morgado, de Vila Nova de Paiva, ambos socialistas, e Carlos Esteves (PSD), em Penedono. Os autarcas atingem os três mandatos, impostos pela lei, e vão ter de deixar sucessor para não perderem a autarquia para a oposição. Em Moimenta da Beira, a escolha do PS recai sobre Alcides Sarmento, que é o atual diretor do Agrupamento de Escolas. Fala-se também na elaboração de uma lista de independentes com “insatisfeitos” socialistas. Já o PSD, que recentemente elegeu João Pedro Jesus para a Concelhia, não coloca de parte a hipótese de avançar juntamente com o CDS em coligação, confiante que recupera o concelho ao PS.

E é também com este objetivo que em Vila Nova de Paiva os sociais-democratas já estão a trabalhar, embora ainda não exista consenso sobre quem pode ser o candidato. Certo é que José Morgado não se pode recandidatar e por parte dos socialistas é preciso “todos os cuidados” para que o candidato seja “a aposta ganha”.

Em Penedono, Carlos Esteves tem tido alguma contestação interna, mas também não se vislumbra, por enquanto, uma “jogada” por parte da oposição.

Falta um ano para as autárquicas, mas já há quem tenha o trabalho de casa feito. Em Viseu, o nome de João Azevedo (PS) foi apresentado há dois meses. Ao socialista, que liderou a autarquia de Mangualde, poderá juntar-se o nome de Almeida Henriques, atual presidente da Câmara pelo PSD e que disse estar disponível para o terceiro e último mandato. Do lado do PSD, a indicação de Rui Rio é a de recandidatar os autarcas que ainda podem cumprir mais mandatos e que não tenham impedimentos. No caso de Almeida Henriques, há quem receie que o social-democrata possa vir a ser “prejudicado” pelos casos que estão a ser investigados pela Justiça e que envolvem o seu nome.

O mesmo se passa em Tondela, onde o atual presidente da Câmara PSD, José António Jesus, tem ainda possibilidade de fazer mais quatro anos, mas tem pela frente um julgamento onde está acusado de crimes de peculato e falsificação de documento. Em causa, estão pedidos de ajudas de custo por alegadas deslocações efetuadas em viaturas próprias.

O nome que se perfila para suceder ao de José António Jesus é o de Carla Borges, atual deputada na Assembleia da República. O PS local também já se anda a movimentar, convencido que esta é a oportunidade dos socialistas conseguirem ganhar, pela primeira vez, esta autarquia.

 

As trocas

Em Mangualde, também já foi dado a conhecer o candidato socialista. Marco Almeida é o senhor que se segue e leva o atual presidente, Elísio Oliveira (substituiu João Azevedo no início deste mandato), como cabeça-de-lista à Assembleia Municipal. No Sátão também poderá haver trocas. Paulo Santos (PSD), que está só no primeiro mandato, deve sair para regressar Alexandre Vaz que nas últimas autárquicas não se pode recandidatar por causa da limitação e acabou por ir para a Assembleia Municipal. Agora, a troca pode de novo ser feita.

Em Mortágua, mantém-se o tabu se Júlio Norte avança ou não e a avançar só pode ser pelo PSD pelo qual foi eleito. O PS vai apresentar Ricardo Pardal que, nas últimas autárquicas, aproximou-se da votação do PSD.

No concelho vizinho, Carregal do Sal, o atual presidente socialista Rogério Abrantes tem dito que já “são horas de sair”. Aliás, já no segundo mandato se falava que ele apenas tinha ficado para “garantir lugares em entidades públicas aos familiares”. Certo é que Paulo Catalino já se chegou à frente e como ganhou a recentemente a Concelhia pode ser a sua própria escolha.

Depois das eleições de 2017, apenas quatro municípios foram “refrescados” com novos protagonistas e que estão disponíveis para continuar. Em Castro Daire, Paulo Almeida (PSD) segue, assim como em Oliveira de Frades com Paulo Ferreira que foi o único autarca do país eleito pelo Nós Cidadão!. Em S. João da Pesqueira, Manuel Cordeiro concorreu como independente e “roubou” a câmara ao PSD. Agora, o PS já o anda a “namorar”.

Em Lamego, Ângelo Moura (PS) também já está na corrida. Aqui, o PSD e o CDS estão a fazer entendimentos para concorrerem coligados e até se fala no regresso do anterior presidente da autarquia, Francisco Lopes.

 

 

.

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts