24 nov
Viseu

Saúde

Doentes podem esperar até 236 dias para serem operados no Hospital de Viseu

por Redação

24 de agosto de 2020, 17:25

Foto Arquivo Jornal do Centro

7338 pessoas esperam além do tempo recomendado

CLIPS ÁUDIO

Doentes em lista de espera para cirurgia no Hospital de Viseu vêm ultrapassar o prazo recomendado para a sua patologia. Os tempos recomendados variam em função da doença e vão até ao máximo de 180 dias

Saiba que se precisar de uma cirurgia no Hospital São Teotónio, em Viseu, pode ficar à espera até 236 dias. É este o tempo médio de espera para cirurgias com prioridade normal a doentes não oncológicos.

As especialidades de neurocirurgia, com um tempo de espera de 268 dias, oftalmologia, com 233 e otorrinolaringologia, com 248 são as que têm um tempo médio de espera mais longo no Hospital de Viseu.

Já as especialidades de dermatologia, otorrinolaringologia e urologia são as únicas em que o tempo de espera para situações muito prioritárias, seja doença oncológica ou não, é superior ao aceitável, que são 15 dias. Na primeira, excede em três dias (15); na segunda, em quatro (19) e na última em dois (17).

 

7338 doentes esperam além do tempo recomendado

Segundo dados da Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS), em maio de 2020, estavam inscritos 11 022 doentes na lista de espera para cirurgia no Hospital São Teotónio, em Viseu.

7338 (66,6%) já tinham visto ultrapassado o chamado “tempo máximo de resposta garantido”, ou seja, o tempo de espera clinicamente aceitável face à sua situação de doença.

Em janeiro, estavam na lista de inscritos para cirurgia (LIC) no Hospital de Viseu 10 236. Destes, 4616 aguardavam dentro dos tempos máximos de resposta garantidos (TMRG). Ou seja, para 5620 doentes inscritos, o prazo recomendado para a intervenção já tinha sido ultrapassado.

Este número diminuiu em fevereiro, com 5571 doentes nessa situação. Mas a partir daí, tem vindo sempre a piorar.

Em março, estavam 5884 doentes em lista de espera fora dos tempos clinicamente aceitáveis, em abril, 6831 e em Maio (últimos dados disponíveis) estavam 7338.

Um dos planos do Governo é reduzir o número de doentes que há mais tempo esperam por uma operação. Mas, segundo dados da Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS) fornecidos ao Público, “nos últimos meses, verificou-se que o número de utentes à espera de cirurgia há mais de um ano era de 27.495 em Janeiro, 35.056 em Fevereiro, 37.233 em Março, 40.953 em Abril e 44.780 em Maio”.

Em maio, 242 mil doentes estavam inscritos na lista de espera para cirurgia, dos quais 100 mil viram o “tempo máximo de resposta garantido” (ou TMRG) ultrapassado.

 

O que é tempo aceitável?

Os tempos máximos de resposta garantidos (TMRG) estão divididos por prioridades.

Os doentes classificados como muito prioritários, seja doença oncológica ou não, deveriam ser operados num prazo de 15 dias após a indicação para cirurgia.

Já no caso dos prioritários, o TMRG vai até aos 45 dias para doentes com cancro e 60 dias para as restantes doenças.

Prazo mais alargado é atribuído à prioridade normal: 60 dias para oncologia e 180 dias para doença não oncológica.

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts