04 dez
Viseu

Saúde

Filas à porta dos centros de saúde. ACES pede para que doentes não se desloquem sem marcação

por Redação

29 de outubro de 2020, 12:29

Foto Igor Ferreira

Salas de espera sem capacidade para acolher doentes com o distanciamento recomendado

CLIPS ÁUDIO

Continuam a existir filas de espera e aglomerados junto ao edifício da Segurança Social de Viseu, onde está situado o Centro de Saúde Viseu 1.

O diretor do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Dão Lafões, António Cabrita Grade, explica que isto acontece porque as salas de espera não têm capacidade para acolher tanta gente e, ao mesmo tempo, manter o distanciamento  social.

“Noutros serviços ou até noutros consultórios estão sempre pessoas à porta porque as entradas, hoje, são condicionadas à capacidade das salas de espera. Temos que cumprir, rigorosamente, as condições de segurança para os utentes e profissionais, como é o caso do distanciamento social, o que implica que as salas de espera tenham uma capacidade que tem de ser respeitada”, sublinha o clínico.

Para o diretor do ACES Dão Lafões, a solução passaria pela construção de um centro de saúde “de raiz” na cidade.

“Neste momento, os acessos estão a ser feitos normalmente. Há sempre algum compasso de espera porque há dois elevadores em que um só comporta duas pessoas, para que seja mantido o distanciamento, e o mais pequeno só comporta uma pessoa. Portanto, de cada vez que há acesso a qualquer um dos andares, há esse ‘filtro’ ou ‘afunilamento’ do acesso às unidades”, adianta António Cabrita Grade.

O responsável do ACES apela ainda aos doentes para não se deslocarem às unidades de saúde sem marcação.

“Nós queremos os nossos utentes a serem observados nos centros de saúde. É essa a essência da função dos serviços de saúde. Agora, o que pedimos é que se faça sempre isto na base da programação e respeitando os horários. As pessoas devem vir 15 minutos antes da hora marcada para evitar que haja aglomeração ou que hajam compassos de espera”, conclui. 

Mesmo para a toma da vacina contra a gripe, o ACES Dao Lafões apela às pessoas para que aguardem pela sua vez e sejam contactados pelas unidades de saúde familiar para evitarem as filas que já se fizeram aquando da entrega da vacina contra a gripe no mesmo edifício.

 

"Centros de saúde do distrito sem capacidade de resposta", denuncia PSD

Depois de reunirem com as direções dos Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Douro Sul e Viseu Dão Lafões, os deputados do PSD eleitos pelo círculo eleitoral de Viseu, numa nota enviada à redação, denunciam que "embora se procure fazer uma programação das consultas, tal não é suficiente e existe uma deficiente triagem para acesso ao edifício" do centro de saúde 1 de Viseu, onde se criam filas de espera ao ar livre.

"Exige-se uma resposta imediata, porque o que está em causa é a qualidade de acesso à saúde dos viseenses", acrescentam.

Os deputados dizem, ainda, que, "reconhecendo a sobrecarga do trabalho dos profissionais e antevendo-se um aumento do número de infetados, é urgente e necessário um reforço de pessoal para as diferentes áreas, em especial na resposta à Covid-19 para libertar os médicos dos cuidados primários para responder às solicitações", concluem.

.

.

.

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts