02 Jul
Viseu

Região

ASSOL protesta contra falta de transportes públicos para os utentes

por Redação

29 de Junho de 2020, 10:00

Foto Arquivo Jornal do Centro

CLIPS ÁUDIO

Associação de Solidariedade Social de Lafões (ASSOL) vai manifestar-se esta tarde de segunda-feira (29 de junho) contra a falta de transportes públicos que sirvam as pessoas apoiadas pela instituição.

O protesto irá decorrer a partir das 16h00 em Carregal do Sal, onde decorrerá a Assembleia Intermunicipal da CIM Viseu Dão Lafões, a entidade responsável pelos transportes públicos nesta região onde a ASSOL faz grande parte da sua atividade.

Em declarações ao Jornal do Centro, o presidente da direção da ASSOL, Gil Almeida, diz que, com as dificuldades nos transportes em altura de pandemia da Covid-19, os utentes da instituição arriscam perder as formações profissionais, o que preocupa a associação com sede em Oliveira de Frades.

“O que nos está a motivar esta reação é a má qualidade dos transportes públicos em geral nas zonas onde se integram as nossas atividades, em especial nesta altura da Covid, em que aquilo o que já era mal está completamente pior. As pessoas não têm meios próprios para se deslocarem nem meios económicos para andar de táxi, porque não conseguem fazê-lo”, explica.

“Nós, que temos turmas de formação profissional em sete concelhos, estamos com problemas porque muitos formandos não podem sequer chegar ao local da formação e, com isso, podem perder o acesso às condições que a formação permite”, acrescenta Gil Almeida.

A ASSOL irá fazer uma manifestação “simbólica” à entrada do Centro Cultural de Carregal do Sal, onde acontece a Assembleia da Comunidade Intermunicipal Viseu Dão Lafões, com a mostra de cartazes com alusão a pessoas apoiadas que precisam de transporte público para as suas deslocações.

Gil Almeida diz que, com esta iniciativa, pretende “que a CIM e os municípios que a integram percebam que os transportes públicos têm de ser resolvidos de outra maneira”, uma vez que grande parte dos formandos da ASSOL vêm de famílias de baixo rendimento.

“Senão perdem todos, incluindo as pessoas que a ASSOL apoia, porque isto limita-as. Podem dizer que há pouca gente, mas aqueles que necessitam são transportados. Se não tiverem transporte, não são transportados. Temos de melhorar as condições do transporte para todas as populações do interior, em especial aquelas com mais carências. A maior parte dos formandos são de famílias de base económica baixa e são os que mais precisam”, remata.

A ASSOL reclama mais e melhores horários de transportes para os seus formandos. A instituição faz atividades, incluindo formação profissional, em Oliveira de Frades, Castro Daire, Mortágua, Tondela, Vila Nova de Paiva, Viseu e Albergaria-a-Velha.

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts