30 set
Viseu

Região

Castro Daire: Árvores sexagenárias arrancadas

por Redação

09 de março de 2018, 20:19

Foto Arquivo Jornal do Centro

Perigo de queda era iminente

CLIPS ÁUDIO

As Carrancas, um dos locais mais típicos da vila de Castro Daire, está desde há algumas semanas sem uma das suas imagens de marca, as grandes e vistosas palmeiras que ladeavam a capela e que aos seus “pés” tinham a fonte. As sexagenárias árvores não resistiram a uma praga da larva do escaravelho vermelho que secou por completo o seu interior, obrigando que as mesmas fossem arrancadas.

O padre José Caria explicou que esta foi uma decisão tomada a pensar na segurança de quem por ali pudesse passar. “Com os ventos fortes e devido ao facto das árvores estarem completamente secas, as palmas maiores começaram a cair e chegaram a fazer estragos. Agora imagine que acertavam em alguém. A responsabilidade era nossa”, diz.

Sem ter ao certo a data da sua plantação, o responsável pela paróquia castrense acredita que as palmeiras têm aproximadamente seis décadas. “Tenho fotos de 1960 em que as árvores já apareciam, pelos menos terão 60 anos”, confirmando ainda que a causa desta “doença” está relacionada com um “ataque”.

Ciprestes, peneiras e magnólias em substituição
Com o caminho “livre” depois da saída das palmeiras, o espaço vai continuar a ter algum verde. “Plantámos no mesmo local ciprestes, peneiras e umas magnólias de sol, tudo com o objetivo de dar uma imagem de marca diferente a um ponto da vila que vai continuar aparentemente despido”, afirma o sacerdote.

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts