01 Jun
Viseu

Região

Coronavírus: mais dez casos positivos em Resende. Provedor queixa-se de "abandono" pela DGS

por Redação

24 de Março de 2020, 00:45

Foto Arquivo Jornal do Centro

Instituição aguarda resultados de mais utentes e funcionários. "Recursos estão esgotados", diz Jaime Alves

CLIPS ÁUDIO

São já dez o casos positivos de doentes com Covid-19 na Unidade de Cuidados Continuados da Misericórdia de Resende. No último domingo (22 de março), foi conhecido o primeiro caso de uma mulher infetada que acabou por falecer. O provedor da Santa Casa da Misericórdia local, Jaime Alves, queixa-se de estar “abandonado” pela Direção-Geral de Saúde (DGS), que não atende os telefonemas e de não ter material de proteção e profissionais de saúde suficientes para ajudar os doentes. Há mais resultados a caminho e o provedor prevê uma “catástrofe” ainda maior.

“Ontem (domingo) foram feitas análises a 13 utentes dos nossos Cuidados Continuados. Apesar de pretenderem fazer apenas teste a sete utentes, fruto da nossa insistência acabaram por fazer à totalidade dos doentes desta Unidade e o resultado foi de dez positivos. Os recursos definidos no nosso Plano de Contingência estão a ficar esgotados”, realça Jaime Alves, provedor da Santa Casa da Misericórdia de Resende que lamenta estar sem resposta por parte das autoridades de Saúde e a sentir que estão a ser abandonados.

“Estamos com um problema de enorme complexidade mediante o qual não estamos a conseguir dar respostas com os nossos próprios meios e por parte da DGS não estamos a conseguir obter a informação de como proceder”, lamenta.

Segundo Jaime Alves, a situação pode tornar-se ainda mais complexa quando se souber dos resultados dos outros testes que a Misericórdia assumiu mandar fazer. “Contrariando as normas da DGS e juntamente com o laboratório que trabalha connosco fizemos análises aos 18 utentes da unidade de Lar de Acamados e alguns dos nosso colaboradores. Preocupa-nos os resultados porque a probabilidade de serem positivos é uma realidade. E com tudo isto, por parte da autoridade máxima da saúde não temos uma resposta clara”, desabafa.

Neste momento, a instituição necessita de mais enfermeiros e equipamento de proteção individual. Os dez doentes com teste positivo para a Covid-19 estão numa ala isolada dos restantes três que não foram infetados. No Lar de Acamados estão mais 18 utentes a aguardar resultados, assim como alguns dos funcionários.

 

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts