21 jan
Viseu

Região

Covid-19: Hospital de Viseu ativa 7.ª enfermaria. Pavilhão do Fontelo em prontidão

por Redação

11 de janeiro de 2021, 13:03

Foto Arquivo Jornal do Centro

Falta montar o aquecimento. Médicos e enfermeiros disponibilizados pelos centros de saúde Dão Lafões

CLIPS ÁUDIO

Numa altura em que o Hospital de Viseu tem mais de 160 pessoas internadas com Covid-19 e ativou já esta manhã de segunda-feira a sétima enfermaria, o Pavilhão do Fontelo, enquanto unidade de retaguarda, está a ser preparado para abrir nas próximas 72 horas se for necessário. Este foi o assunto que esteve a ser tratado numa reunião de emergência marcada pela Comissão Distrital da Proteção Civil. O Pavilhão está montado em termos de infraestrutura, faltando o aquecimento que vai agora ser aplicado. Ao Jornal do Centro, o presidente da Comissão, Vítor Figueiredo, explicou que os próximos dias são para deixar o Pavilhão em condições para poder ser aberto a qualquer momento. “Não quer dizer que seja assim que o aquecimento estiver montado, mas fica tudo pronto para o ativar”, reforçou.

Os recursos humanos (médicos e enfermeiros) ficam a cargo do Agrupamento dos Centros de Saúde Dão Lafões e vão ser coordenados por uma equipa de um médico e dois enfermeiros do Hospital de Viseu. Já aa Segurança Social, em protocolo com a Cruz Vermelha, disponibiliza os assistentes operacionais. Numa primeira fase poderão ser abertas entre 30 e 40 camas e, embora a infraestrutura esteja a ser preparada para doentes Covid, de acordo com a pressão no Hospital e lares poderá receber outro tipo de doentes. “A análise final será sempre da Saúde”, disse ainda Vítor Figueiredo.

O Pavilhão do Fontelo é uma infraestrutura de retaguarda que o município de Viseu montou e disponibilizou, logo desde o início da pandemia, para estar ao serviço do distrito.

A ativação desta unidade surge numa altura em que o Hospital de Viseu está “nos limites dos limites”.

“Transversal ao que acontece noutros pontos do país, deparamo-nos com um aumento do número de infeções que tem levado a uma pressão nos hospitais portugueses. Decorrente da ativação do nível máximo do Plano de Contingência, o Centro Hospitalar Tondela-Viseu (CHTV) está a preparar e a estudar formas de reforçar a capacidade”, afirma, em nota, o Conselho de Administração.

Caso venha a ser necessário, a gestão de camas em rede da Administração Regional de Saúde do Centro permite transferências para serviços de hospitais menos sobrelotados, o que já aconteceu com o envio de doentes Covid para as residências Montepio, em Albergaria, e doentes não Covid para a CUF. O CHTV tem 10 e quatro camas contratualizadas com a Casa de Saúde São Mateus e Cuf, respetivamente, para doentes não-Covid.

 

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts