25 Set
Viseu

Região

À espera dos serviços públicos. O retrato do distrito

por Redação

14 de Agosto de 2020, 19:00

Foto Arquivo Jornal do Centro

Se precisar de renovar o cartão de cidadão só a partir de dezembro, pelo menos em Lamego

CLIPS ÁUDIO

Todos os dias, desde o início da pandemia Covid-19, milhares de cidadãos passam horas de telefone na mão para conseguirem aceder aos serviços do Estado.

Seja para renovar o cartão de cidadão, ter uma consulta num centro de saúde ou esclarecer dúvidas junto das Finanças ou da Segurança Social.

O Jornal do Centro foi tentar perceber esta realidade nos serviços da região.

 

Uma manhã a ligar para o centro de saúde de Tondela

O atual modus operandi dos centros de saúde é: o doente deve telefonar para a sua unidade, deixar os seus dados e o nome do médico de família e será o clínico quem decide, em última estância, se o doente deve ou não deslocar-se à unidade. O atendimento telefónico ou via mail continua a ser o privilegiado.

Mas nos centros de saúde ou não atendem o telefone ou fazem-no passado muita insistência e várias chamadas depois, queixam-se os utentes. O Jornal do Centro fez o teste.

Foram sete as tentativas de chamada para o centro de saúde de Tondela. O sinal é o de chamada, mas do outro lado ninguém responde.

O mesmo acontece com a Unidade de Saúde Familiar (USF) Grão Vasco, em Viseu. Já a USF Viseu Cidade, para onde tentamos ligar 12 vezes, apesar de dar sinal de chamada, a mesma vai abaixo em segundos.

A USF de Mangualde atendeu à segunda tentativa, o centro de saúde de Resende e o de Castro Daire à terceira, depois de nas primeiras tentativas o sinal de chamada ser rapidamente substituído pelo de interrompido.

Mas há centros de saúde em que não se precisa de insistir muito, como é o caso do de Vila Nova de Paiva, Aguiar da Beira, Vouzela, Armamar, Penedono e Cinfães.

 

Hospitais de Lamego e Tondela mais rápidos no atendimento telefónico do que Viseu

O contacto com os hospitais da região parece ser mais fácil, ao contrário do que acontece com alguns centros de saúde. No caso do Hospital de Lamego, que pertence ao Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro, foi imediato. O mesmo aconteceu com o de Tondela. Já para conseguir falar com o de Viseu, foi preciso insistir.

 

Justiça de férias, mas atendimento imediato nos tribunais

Desde 16 de julho e até 21 de agosto os tribunais portugueses fecham para férias e só vão abrir portas para casos urgentes ou que envolvam presos ou vítimas de violência doméstica. Mas saiba que se precisar de esclarecer alguma dúvida ou até mesmo precisar de algum serviço prestado pelos Tribunais do distrito, o atendimento telefónico é rápido. Pelo menos, foi a experiência do Jornal do Centro que contactou todos os tribunais do distrito.

 

Se precisar de renovar o cartão de cidadão só a partir de dezembro, pelo menos em Lamego

O contacto com as conservatórias dos registos civis e comerciais também não é pêra doce.

Para evitar a espera, o Instituto dos Registos e do Notariado aconselha a marcar atendimento via online, exceto para pessoas com menos de 25 anos.

Experimentámos. Em Tondela, a próxima vaga no calendário é em outubro. Em Cinfães é em novembro. Em Lamego só em dezembro há datas disponíveis.

Em todo o distrito, Viseu é o mais rápido que se arranja, ainda para o final de agosto.

Se preferir a marcação via telefone, há balcões que não atendem, outros que estão, constantemente, ocupados, como é o caso dos de Viseu e Tarouca.

 

Finanças deixam os cabelos em pé

Uma alteração de morada ou um rendimento indevidamente assinalado obriga a uma deslocação obrigatória às finanças. Mas deve ser agendada previamente. E isso pode ser uma dor de cabeça.

O número de telefone da repartição de Finanças de Tondela está repetidamente ocupado. Já as de Viseu, Lamego, Aguiar da Beira, Cinfães, Resende, Tarouca, Santa Comba Dão e Moimenta da Beira não atendem. Oliveira de Frades e São Pedro do Sul foram os únicos balcões que atenderam de forma imediata.

 

Autarquias com atendimento automático não reencaminham a chamada na maior parte das vezes

O atendimento telefónico nas várias autarquias do distrito também não é fácil. As câmaras com atendimento automático deixam-nos, do lado de cá, em espera. E depois de algum tédio e desespero... a chamada cai. Aconteceu com a Câmara Municipal de Tondela, Oliveira de Frades, Lamego e Castro Daire. Deixando a ressalvada de que o município castrense devolveu a chamada.

Resende, Cinfães, Santa Comba Dão, Vila Nova de Paiva, Moimenta da Beira e São Pedro do Sul foram os mais céleres no atendimento.

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts