06 Ago
Viseu

Região

GNR usa drones para vigiar florestas

por Redação

02 de Julho de 2020, 11:32

Foto Arquivo Jornal do Centro

Método vai ser usado pelos militares de Viseu para vigiar freguesias sinalizadas no combate aos fogos

CLIPS ÁUDIO

A GNR vai vigiar as florestas do distrito de Viseu com drones. Um método que vai ser essencialmente usado nas freguesias sinalizadas como prioritárias no combate aos incêndios. Para todo o país, a força policial conta com 12 destes equipamentos para distribuir pelos comandos.

O relações públicas da GNR de Viseu, tenente-coronel Adriano Resende, salienta que esta medida é complementar a outros meios de vigilância.

“Este ano, a GNR vai complementar os meios que já possui à disposição com o patrulhamento através destes meios de vigilância aérea à distância. Nos locais de acesso mais difícil e onde não se pode ir por causa das altas temperaturas, iremos também utilizar os drones, permitindo-nos visualizar à distância e de uma forma mais reservada”, explica.

Adriano Resende refere ainda que a GNR dá como prioridade o uso dos drones em zonas do país que foram mais fustigadas pelos fogos. “Conforme for acontecendo, vamos ter dois, três ou quatro drones, dependendo da situação”, afirma.

Com o início da fase mais crítica de combate aos incêndios, neste mês de julho, o patrulhamento da floresta foi reforçado no distrito, assim como os postos de vigia.

“Temos mais 13 postos de vigia, a juntar aos seis que já funcionavam desde meados de maio. Também reforçámos o patrulhamento apeado [feito a pé] e em automóvel em locais propícios para a ocorrência de incêndios”, explica o relações públicas da GNR.

Adriano Resende apela ainda para os cuidados a ter com a realização de queimadas. “Continuamos a aconselhar as pessoas a terem muito cuidado no uso do fogo e na realização de queimas e queimadas, que estão sujeitas a autorização. Por força do período crítico e das condições atmosféricas, o risco de incêndio poderá atingir níveis muito elevados e até o nível máximo”, lembra.

O tenente-coronel alerta também que a negligência nas queimadas pode motivar grandes focos de incêndio, daí o cuidado que as pessoas devem ter com o fogo nesta altura.

O período crítico de incêndio termina a 30 de setembro.

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts