17 jan
Viseu

Região

Médica dos cuidados intensivos foi a primeira a ser vacinada em Viseu

por Redação

29 de dezembro de 2020, 13:09

Foto Arquivo Jornal do Centro

"É a esperança para acabar a pandemia" , diz diretora do serviço. Também o responsável da Autoridade de Saúde local já foi vacinado

CLIPS ÁUDIO

Na manhã desta terça-feira, o Hospital de Viseu começou a aplicar as primeiras doses da vacina contra a Covid-19. Eram 9h10 e Ana Albuquerque, diretora dos Cuidados Intensivos, foi a primeira profissional de saúde a receber a tão esperada vacina.

Sem grandes nervosismos, “correu tudo como tinha previsto e sem problemas”, garante Ana Albuquerque. “Para nós acho que é esperança para acabar a pandemia. Aquilo que toda a gente pedia era uma vacina que pudesse pôr termo à pandemia ou controlá-la no mínimo e acho que é essa a nossa confiança na vacina”, refere a diretora, acrescentando que é uma vantagem pertencer à União Europeia por acelerar a chegada da vacina.

Apenas sete por centro dos profissionais de saúde, “não quiseram ou não querem tomar a vacina”, refere Nuno Duarte, presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Tondela Viseu, garantindo que a maioria está recetiva à toma da vacina.

Neste momento, o Hospital de Viseu tem 60 doentes internados em enfermaria, dez em cuidados intensivos, mas, “nós estamos relativamente tranquilos com a nossa capacidade de resposta disponível”, assegura o presidente.

Para os lados do Agrupamento de Centros de Saúde Dão Lafões, às 10h00 começou a contagem decrescente para que se possa cumprir o objetivo: vacinar 150 profissionais de saúde entre as 10h e as 19h. O relógio já marcava as 10h20 quando o médico José Mota Faria, responsável da Autoridade de Saúde local, foi vacinado contra à covid-19.

“Por um lado, é um ato de responsabilidade e senti isto como um reconhecimento do diretor executivo em relação ao trabalho da saúde pública, principalmente ao trabalho dos meus colegas”, diz Mota Faria, acrescentando que “é uma obrigação nossa dar o exemplo que esta vacina é necessária e cientificamente aprovada”.

Já Cabrita Grade, diretor do Aces Dão Lafões, acredita que a vacina é o caminho para se alcançar a imunidade de grupo. “É uma janela de esperança para todo o mundo e é uma arma fundamental para combatermos esta pandemia”, admite o diretor, admitindo que a maioria dos profissionais dizem sim à vacina.  

A seleção dos primeiros profissionais a ser vacinados cumpriu critérios  específicos e, “neste momento, estamos a ter uma atenção para os profissionais que tiveram na linha da frente dos cuidados primários, nomeadamente, profissionais que tiveram nas áreas dedicadas à covid-19 e às doenças respiratórias, o fator de idade e também o fator de algumas doenças que as pessoas possam ter”, explica. 

Até ao final do dia, entre o Hospital de Viseu e o Agrupamento de Centros de Saúde Dão Lafões, 330 profissionais de saúde já esta vão estar vacinados. A administração da vacina vai continuar até quinta-feira e vai abranger, nesta primeira fase, mais de 500 médicos e enfermeiros da região de Viseu.

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts