28 fev
Viseu

Região

Operação GNR: Ir buscar um telemóvel esquecido não é justificação para andar de carro

por Redação

14 de fevereiro de 2021, 15:12

Foto Igor Ferreira

Mais de 60 condutores multados e mandados de volta para casa em fiscalização das medidas de combate à pandemia

CLIPS ÁUDIO

O esquecimento de um telemóvel no carro de um conhecido valeu a um condutor da zona de Viseu uma multa de 200 euros. Uma justificação para estar em trânsito num domingo de manhã, numa altura em que há recolher obrigatório e proibição de circulação entre concelhos, mas que não convenceu a GNR. Houve também quem tenha dito que estava a deslocar-se de Nelas para Viseu para ir à farmácia e quem tivesse urgência em visitar a tia.

Algumas justificações foram aceites, outras nem por isso. No final da operação que o Destacamento Territorial de Viseu montou durante esta manhã de domingo, 61 condutores foram multados por incumprimentos das regras de combate à pandemia e regressaram a casa com menos 200 euros.

“Por regra nós percebemos quando a pessoa está a dizer a verdade. Mas numa fiscalização não podemos ter dúvidas e, por isso, exigimos sempre a declaração para saber se a pessoa está ou não em incumprimento”, explica o capitão Bruno Marques, comandante do Destacamento.

Carlos Martins tinha essa declaração. Proprietário de talhos em Arganil e Viseu, foi um dos condutores fiscalizados. “Tenho de andar todos os dias. Concordo com estas operações porque é preciso haver rigor para ver se isto muda”, diz.

Passou de mota e foi mandado parar. Carlos Lemos é dos cidadãos portugueses que têm de andar todos os dias de um lado para o outro. Faz piquete na EDP e a qualquer momento pode ser chamado. Não foi o caso da deslocação deste domingo, mas a declaração apresentada foi aceite. “Tenho uma quinta e tive de ir dar de comer aos animais, aproveitei e trouxe umas laranjas”, conta, enquanto mostra a documentação da viatura.

 

48 militares, oito pontos de fiscalização

 

A operação montada pele Destacamento envolveu 48 militares com as equipas espalhadas por oito pontos em estradas nacionais e municipais. Começou às 10h30, numa altura em que “o trânsito quase parecia o de um domingo normal, sem confinamento”, como classificou um dos militares.

“Já sabemos que aos domingos é quando há muitos convívios familiares e que há mais circulação até à hora de almoço. Hoje ainda mais porque está bom tempo”, salienta o capitão Bruno Marques que explica os objetivos da ação: “ver se estão a cumprir com o dever de recolhimento e lembrar que há limitação de circulação entre concelhos”.

Segundo o comandante do Destacamento, a maioria das infrações correspondem ao dever de recolhimento porque “muitas pessoas não se fazem acompanhar das declarações” que podem ser assinadas pelo próprio sob compromisso de honra de que a deslocação é necessária.

Com o passar das horas e quanto mais se aproximava a hora de almoço, menos eram as viaturas na estrada. Às 13h30 foi dada a ordem de desmobilizar. Não sem antes voltar a passar o conselho que durante toda a manhã foi saindo do altifalante de uma das viaturas da GNR e com a voz do ator Ricardo Carriço: "Fique em casa. A desobediência constitui um crime".

No final, além dos 61 condutores que estavam as infringir as regras de combate à pandemia, foi ainda detido um cidadão por estar a conduzir um carro sem carta de condução e apreendida uma viatura sem seguro. Por infrações rodoviárias, foram passadas 43 multas. Segundo a GNR, terão sido fiscalizados mais de 500 carros e motorizadas.

 

 

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts