02 Jul
Viseu

Região

Região de Viseu perdeu o comboio ... turístico

por Redação

13 de Junho de 2020, 08:30

Foto Arquivo Jornal do Centro

O futuro dos comboios turísticos do distrito está agora em causa pelo impacto da pandemia no turismo nacional

CLIPS ÁUDIO

O destino dos comboios turísticos de Viseu e Lamego estão este ano em causa. Se Lamego está disponível para marcações, Viseu não terá possibilidade de responder aos pedidos dos turistas que normalmente visitam as cidades atarvés deste meio de transporte “alternativo”

Tal como seria de esperar, as recomendações da Direção Geral de Saúde terão de ser seguidas e o comboio turístico de 56 lugares que faz visitas na região do Douro aguarda agora o selo de “clean and safe” para poder retomar as visitas à região.

Embora este pequeno automóvel turístico funcione geralmente todo o ano, à excepção do mês de janeiro, 2020 está a ser diferente. As viagens retomarão apenas quando houver melhores notícias relativas ao surto de Covid-19 no país.

Segundo Rui Oliveira, diretor da empresa Cryseia, responsável pelo comboio turístico de Lamego, as viagens estão direcionadas para a faixa etária mais melindrada neste momento (séniores) e, por isso, a maior incerteza que enfrentam será a de segurança e conforto “A incerteza resulta do facto de as atividades turísticas carecerem de uma decisão prévia, que implica segurança e conforto do destino que se elege para visitar. No caso presente, a região do Douro é fundamentalmente visitada por turistas e excursionistas seniores, que, como se depreende, têm mais receio e exigem mais conforto que as populações jovens no ato de decisão do destino a visitar. Se a este facto associar a triste realidade de não se realizarem eventos, feiras, festas e romarias no território, nem no país, que contribuem para a atracão de públicos e o facto de grande parte dos turistas que visitam a região ser de nacionalidade estrangeira, o cenário não é muito animador”, sublinha.

Segundo Rui Oliveira, os serviços deste comboio não têm sido requisitados da mesma maneira que seriam se a situação do país fosse de normalidade e até as reservas foram canceladas.

As expectativas para o turismo em Lamego não são animadoras, tal como conta o diretor da Cryseia, que explica que as empresas, algumas delas sazonais, “estão debilitadas e terão alguma dificuldade em se reerguer”.

Em Viseu o cenário é ainda menos animador. Segundo Jorge Sobrado, vereador da Cultura, este ano a cidade de Viriato não contará com o mítico comboio para transportar os habituais turistas que visitam a cidade.

O comboio que até aqui fazia o percurso pela zona histórica e arredores encontra-se avariado. A autarquia considerou consultar uma empresa concessionária que substituísse o mesmo, uma vez que o arranjo deste seria muito dispendioso, mas uma vez que a pandemia se instalou no país, foi tomada a decisão de abandonar a ideia, pelo menos por este ano.

Os poucos turistas que se encontram pelas ruas parecem ainda preocupados demais para as habituais viagens em grupo que estes comboios têm para oferecer, além da necessidade de máscara para onde quer que se vá.

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts