17 jan
Viseu

Região

Empresários da restauração da região de Viseu em protesto em Lisboa

por Redação

25 de novembro de 2020, 10:40

Foto Igor Ferreira

CLIPS ÁUDIO

Mais de uma dezena de empresários da região de Viseu vão participar esta tarde de quarta-feira (25 de novembro) na manifestação junto ao Parlamento, em Lisboa, para reclamar por mais apoios financeiros para a restauração, para minimizar os efeitos da Covid-19 no setor.

O representante dos empresários de Santa Comba Dão, Pedro Vitorino, diz que é necessário fazer mais pelo setor. “Vamos dar apoio aos nossos colegas junto à Assembleia da República para manifestarmos o nosso desagrado perante os apoios diminutos no setor da restauração”, afirma.

Pedro Vitorino lembra que a situação provocada pela pandemia da Covid-19 está a atingir toda a cadeia de valor da restauração. No seu caso, a perda ronda os 75 por cento da faturação.

“Eu tinha 38 colaboradores e agora tenho só 21. Esta situação atinge não só nós, mas também todo o comércio envolvente, porque todos os fornecedores também já estão a sentir um impacto negativo. Isto é um tsunami na economia”, frisa.

Entretanto, o Governo anunciou que os restaurantes dos concelhos abrangidos pelo estado de emergência podem já pedir um apoio de 20% (por cento) da receita perdida nos dois últimos fins de semana, devido às restrições impostas aos estabelecimentos.

"A partir de dia 25 as pessoas poderão requerer [o apoio] e depois será um processo bastante simplificado, porque a partir do dia 20 deste mês já dispomos de informação de toda a faturação até ao final de outubro e será possível fazer verificação entre o que as pessoas declararam, a sua receita, e aquilo que é a receita que tiveram na média daqueles 44 fins de semana", explicou o primeiro-ministro.

António Costa acrescentou que "a partir de 20 de dezembro" pode depois ser verificado através do e-fatura "se não houve falsas declarações", o que seria crime e assim sendo, teria de se proceder "à cobrança daquele apoio indevidamente pago".

No dia 14 deste mês, o ministro de Estado e da Economia, Pedro Siza Vieira, disse que o apoio excecional aos restaurantes dos concelhos abrangidos pelo estado de emergência para os compensar pela receita perdida nestes dois fins de semana acenderá a 25 milhões de euros.

Este apoio excecional, que será pago em dezembro, irá juntar-se aos 1.103 milhões de euros que já foram disponibilizados ou estão anunciados para o setor da restauração, onde se incluem 286 milhões de euros através do 'lay-off' simplificado e do apoio à retoma progressiva, 12 milhões de euros através do programa Adaptar e 580 milhões de euros em linhas de crédito.

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts