04 Jun
Viseu

Região

Todos os dias, o rádio é ligado e o terço de Fátima ouve-se em Bertelhe

por Redação

23 de Maio de 2020, 08:30

Foto Arquivo Jornal do Centro

No mês de Maria, Manuel Ferreira tem a missão de todos os dias colocar no ar o terço. Missas regressam aos locais de culto a 30 de maio. Máscaras, distanciamento e gel nas mãos são algumas das regras para quem quer voltar a ver e ouvir de viva voz a palavra do pastor

CLIPS ÁUDIO

Às 18h30, Manuel Ferreira cumpre religiosamente, de segunda a sexta-feira, a função de ligar o rádio para a população de Bertelhe ouvir o terço através de um altifalante colocado na torre sineira da capela. Vai ser assim até ao final de maio.

Em anos anteriores a missão de fazer com que o rosário fosse cumprido no mês de Maria cabia à esposa de Manuel. Agora, com a pandemia provocada pela Covid-19 e o encerramento dos locais de culto, é este popular que, fazendo uso das tecnologias que já têm 100 anos, mantém o culto em dia.

“Nos meses de maio e novembro costumamos rezar o terço à noite, vinha à capela quem queria assistir. Agora como não pode ser, resolvemos meter no altifalante o terço a partir de Fátima e toda a gente ouve”, conta. E assim é, quer para quem anda no campo nos afazeres agrícolas, quer para quem está em casa e que para seguir do primeiro ao quinto mistério abre as janelas.

No final, é só desligar o rádio e fechar a porta da pequena capela localizada junto ao largo da aldeia. É assim durante a semana. Já aos domingos, a missão é a de transmitir a missa, também pelo altifalante.

“O padre, sozinho, celebra uma vez na Igreja de Cepões, outra em Rio de Moinhos ou numa das quatro paróquias que tem e depois através da internet ouve quem quer. Sem religião ninguém fica. Quem a tem não a perde”, assegura Manuel Ferreira que também faz parte da Comissão Fabriqueira da paróquia. “Há muita gente que pode assistir pela televisão, mas não é a mesma coisa. Nós gostamos de ouvir a voz do padre Eurico que é a voz do nosso pastor”, reforça.

O regresso das missas acontece a partir de 30 de maio, anunciou já a Conferência Episcopal, com varias medidas restritivas. Ansioso pelo regresso há, no entanto, uma mágoa que persiste na alma de Manuel Ferreira. “Tínhamos aqui a grande festa de abril, a festa de S. Matias... nunca me lembro de falhar e este ano foi tudo diferente”, desabafa. Já para o ano, espera também que “tudo seja diferente”.

 

.

Missas de máscara e sempre que possível ao ar livre

 

As missas regressam no final de maio aos locais de culto, mas são vários os conselhos que a Igreja deixa aos fiéis. Em Viseu, estão a ser preparadas equipas de acolhimento com a missão de “cuidar que todos se sintam bem e que a saúde de ninguém seja posta em causa”, como explica o bispo D. António Luciano. O prelado pede aos fiéis para que sigam as instruções para uma celebração em segurança sanitária, como usar máscara e, se possível, usar um aplicador pessoal de gel desinfetante. Na procissão para a comunhão eucarística os fiéis “devem respeitar o distanciamento aconselhado” e “fica suspensa” a comunhão eucarística aos doentes. Pede, sempre que possível e respeitando também as normas, que as eucaristias se possam realizar ao ar livre.

“Todas as festas, as peregrinações, as romarias e as procissões estão suspensas”, até novas orientações, e a catequese vai continuar online, anuncia ainda o bispo.

Para as celebrações do batismo é “é desejável o adiamento”, enquanto que os casamentos e o crisma ficam adiados “até novas orientações”. A Unção dos Enfermos “deve realizar-se apenas nos casos de necessidade urgente”.

“O que fizermos e como o fizermos demonstrará o nosso grau de empenho e de corresponsabilidade. Confiamos em todos, certos de que não deverá ser por negligência nossa que esta crise sanitária se agudize”, apela D. António Luciano,

A Diocese de Viseu publicou orientações pastorais para a reabertura das igrejas ao culto público e para o regresso à “nova normalidade” da vivência da fé, tendo presente as orientações Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), da Direção Geral de Saúde (DGS) e das Autoridades de Saúde do ACES Dão Lafões.

.

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts