06 Ago
Viseu

Turismo

Turismo: mais portugueses e mais dias nos hotéis da região de Viseu

por Redação

01 de Agosto de 2020, 08:30

Foto Arquivo Jornal do Centro

TÓPICOS

Turismo

CLIPS ÁUDIO

“A Covid-19 é sempre uma má notícia”, mas dentro da crise há indicadores que deixam um panorama mais positivo para o setor turístico. De acordo com os dados recolhidos junto de operadores, os clientes estão a prolongar por mais tempo a sua estadia nos alojamentos da região. Há unidade que também estão quase dentro da sua capacidade máxima de lotação imposta pelas novas regras da Direção-Geral de Saúde.

“Embora o impacto que causou no sector do turismo hoteleiro, de alojamento local, rural e natureza, o momento está a ser positivo porque há um novo paradigma e conceito de procura por parte dos clientes, com o prolongamento, ou aumento da taxa média de ocupação nas diferentes unidades da oferta disponível na Região de Turismo Centro de Portugal”. A constatação desta nova realidade foi revelada pelo presidente do Turismo Centro de Portugal, Pedro Machado, no início desta semana, no Montebelo Aguieira Lake Resort & Spa, no concelho de Mortágua. “Esta unidade turística teve durante o mês de julho uma taxa de ocupação de quase 70% da sua capacidade, prevendo-se que no mês de agosto essa ocupação possa atingir o pico da sua lotação máxima, na casa dos 80%”, de acordo com informação dada por responsáveis da Visabeira Turismo, o que é, sem dúvida um bom indicador”, exemplifica.

“Se pensarmos noutros estabelecimentos turísticos espalhados pela nossa Região Centro sobretudo naquele território que durante muitos anos foi apelidado pelo Interior e de baixa densidade, esta pode ser uma oportunidade histórica para mitigar essa dictomia entre o Litoral e o Interior”, frisou Pedro Machado.

O presidente do Turismo Centro de Portugal refere que nos mesmos estabelecimentos hoteleiros “quem faz férias hoje, em média fica mais noites. Exactamente porque têm essa percepção de segurança, têm essa percepção de que podem viajar para os destinos que escolheram assente num sentimento de confiança”.

Em termos estratégicos, Pedro Machado adiantou que o Plano de Recuperação Económico que foi traçado pelo Turismo Centro de Portugal “aponta para a combinação, precisamente, entre o turismo convencional, com o turismo natureza, com o turismo de saúde, com o turismo náutico, com o turismo de recreio que é, no fundo o postal que temos quando olhamos para estes lugares do interior”.

Sobre a ocupação hoteleira nas unidades da Visabeira Turismo, o administrador, Jorge Costa, começou por explicar que com a abertura, a 1 de julho, de algumas unidades da cadeia Montebelo houve “como preocupação fundamental proporcionar uma estadia segura e despreocupada, fazendo os hóspedes sentirem-se seguros como na sua própria casa, o que lhes tem vindo a permitir viver, de novo, grandes experiências nas unidades hoteleiras”.

 

A IMPORTÂNCIA DO SELO “CLEAN & SAFE”

 

Ostentando o selo “Clean & Safe” do Turismo de Portugal, a Montebelo Hotels & Resorts, “implementa diária e rigorosamente as medidas e recomendações da Direção-Geral de Saúde, assegurando a limpeza e higienização de todos os espaços, incluindo os quartos, suítes e apartamentos, lobby e receção, restaurantes e espaços exteriores de lazer, tendo dado formação especializada aos seus colaboradores” referiu o administrador da Visabeira Turismo.

Jorge Costa adiantou ainda que do ponto de vista da ocupação, “esperamos em agosto, nomeadamente, nas unidade Montebelo Aguieira e Montebelo Vista Alegre atingirmos taxas de ocupação próximas das alcançadas em 2019. As outras unidades estão a recuperar, dia a dia, sabendo que nos tempos que correm a evolução das taxas de ocupação dependem muito do grau de confiança do consumidor, à qual procuramos corresponder, mas também de outros fatores a que somos alheios” frisou.

 

CARAMULO E DOURO COM ELEVADAS TAXAS MÉDIAS DE OCUPAÇÃO

 

O Hotel do Caramulo (do Grupo GoldenTulip) que em tempo de pandemia também está a registar uma taxa média de ocupação considerada positiva, obteve, em julho, uma ocupação de 60% na sua unidade.

Para agosto, a direção do Hotel refere que as perspectivas são também muito animadoras, já que se prevê a chegada de mais turistas, especialmente portugueses, cuja taxa de ocupação pode variar entre os 65 e os 75%, verificando-se que as famílias, casais ou grupos têm revelado uma tendência para permanecer mais tempo nesta unidade hoteleira.

No Lamego Hotel & Life, em plena Região do Douro, só nas últimas 48 horas foram registadas 50 reservas para os próximos dias, com a entrada da primeira quinzena de agosto, o que, para os responsáveis da unidade, é uma excelente notícia, já que a taxa média de ocupação durante o mês de julho ultrapassou os 65%.

Para o mês de agosto, esta unidade conta com uma estimativa aproximada de ocupação que pode variar entre os 70 e os 80% da sua lotação máxima, assegurando todas as medidas de segurança.

Um pouco mais acima, no Douro Royal Valley & Spa refere, o mês de julho tem estado a ser uma “agradável surpresa” ao atingir uma ocupação de 70%, com muitos turistas portugueses, mas também alguns estrangeiros que começam a chegar a Portugal.

Nesta unidade, encostada a Resende, os turistas também têm revelado uma maior predisposição para permanecerem mais tempo do que o habitual, contribuindo do ponto de vista estatístico para ajudar a aumentar a estadia média nacional de permanência no interior das unidades hoteleiras e outros empreendimentos turístico, ligados ao turismo natureza e náutico.

Com a chegada do mês de agosto, o Douro Royal Valley & Spa refere que as reservas já registadas e confirmadas, apontam para um mês muito interessante, com uma ocupação que pode ultrapassar os 85%, ou mesmo esgotar. A maioria são turistas portugueses, ainda assim, é previsível que os estrangeiros a preferirem esta unidade hoteleira nas encostas do rio Douro possa rondar os cerca de 35 a 40%.

 

SERRA DA ESTRELA É OUTRO DOS DESTINOS PROCURADOS

 

Em plena Serra da Estrela, o Hotel Camelo, durante o mês de julho, registou uma ocupação média de turistas, entre os 55 e os 60%, que agora com a chegada do mês de agosto pode chegar, ou mesmo ultrapassar os 70% da sua ocupação total.

Os indicadores face às reservas já efectuadas perspectivam um aumento durante o mês de agosto pode. Também aqui, a maioria dos clientes são portugueses, mas, ainda assim, “vão parecendo alguns estrangeiros numa taxa variável entre os 10 e os 15%”.

Em pleno território do turismo de montanha e natureza, a estadia média de permanência dos turistas tem sido mais prolongada, “apenas porque os turistas se sentem mais seguros, como se estivessem na sua própria casa”, revela o responsável pela unidade hoteleira.

O Hotel Camelo Serra da Estrela também foi contemplado com o selo “Clean & Safe” do Turismo Centro de Portugal e cumpre com todas as recomendações da Direção-Geral de Saúde.

TÓPICOS

Turismo

.

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts