28 fev
Viseu

Região

Vacinação: experiência-piloto arranca no Pavilhão Multiusos com utentes da USF Lusitana

por Redação

01 de fevereiro de 2021, 13:19

Foto Igor Ferreira

Até março, vão ser vacinados mais de 24 mil idosos nos 14 municípios do Agrupamento de Centros de Saúde Dão Lafões

CLIPS ÁUDIO

A vacinação contra a Covid-19 na população com mais de 80 anos, em Viseu, vai avançar numa experiência piloto com os utentes da USF Lusitana. O processo vai desenrolar-se no Pavilhão Multiusos que recentemente foi montado como unidade de retaguarda. Segundo o diretor do Agrupamento de Centro de Saúde (ACES) Dão Lafões, Cabrita Grade, nos próximos dois meses deverão ser vacinadas mais de 24 mil pessoas.

“O avanço com a vacinação dos utentes da USF servirá como experiência piloto para se afinar todos os mecanismos. Iremos começar durante esta semana, numa atividade em parceria com a Câmara de Viseu. Estão já instaladas oito boxes e toda a parte de estruturas está operacional. Esta vai ser uma tarefa para nos dar feedback de todas as inconformidades que possam existir para depois quando entrarmos na velocidade cruzeiro estar tudo afinado. Apesar da grande experiência que o SNS tem de administração de vacinas esta é uma situação nova e temos de afinar aqui mecanismos para que a resposta seja efetiva”, esclareceu.

A escolha do Pavilhão, equipamento que o presidente da Câmara de Viseu já tinha colocado à disposição para esta tarefa, prende-se com as boas acessibilidades e ter espaço suficiente quer para a operação de vacinação em si, quer na acomodação das pessoas, salvaguardando a distância e a necessidade de vigilância durante os 30 minutos seguintes à inoculação.

A operação no Pavilhão Multiusos conta com vários profissionais envolvidos, desde enfermeiros das várias unidades de saúde, pessoal da proteção civil a voluntários do Hospital de Viseu.

Depois desta experiência piloto, a vacina é alargada a todos as pessoas com mais de 80 anos ou aos mais de 50 que sofrem de um conjunto de doenças graves. No ACES Dão Lafões já se sabe quantos são e a saúde espera que o processo demore dois meses.

“Nesta primeira fase foram incluídos os utentes com mais de 80 anos e como tal tivemos orientações que esta primeira quinzena de fevereiro iríamos iniciar este processo que se deverá estender oito semanas, entre fevereiro e março. Aqui no Aces, vão ser bem mais de 24 mil pessoas”, disse Cabrita Grades, que deixa um apelo: “Não é por iniciativa da própria pessoa que vamos vacinar. As pessoas irão ter de esperar que recebam na sua morada o dia e hora para se apresentarem no seu posto de vacinação”.

E as autarquias também já estão no terreno a preparar o processo. De acordo com Vítor Figueiredo, presidente da Câmara de S. Pedro do Sul e da Proteção Civil Distrital, neste momento, os municípios estão a criar os espaços de vacinação. “Inicialmente, queríamos que fossem feitos ao nível de freguesia, mas como as vacinas têm de estar a determinada temperatura isso não será possível. Por isso, serão criados em todos os concelhos centros de vacinação que em alguns locais poderão ser os centros de saúde ou outros espaços diferentes, desde que cumpra com as regras. Cada concelho ficou de indicar os espaços”, disse.

A nível nacional, a nova operação de vacinação vai começar pelos cerca de 340 mil idosos acima dos 80 anos de idade, mesmo que sejam saudáveis e, num segundo momento, chega aos cerca de 400 mil adultos acima dos 50 anos com quatro patologias graves também identificadas nos casos mais complexos de Covid-19, nomeadamente, doença coronária, insuficiência cardíaca, insuficiência renal e doença pulmonar obstrutiva crónica. 

 

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts