03 dez
Viseu

Região

Viseu: Às 21h30 há uma cidade que começa a fechar (com fotogaleria)

por Redação

18 de novembro de 2020, 12:40

Foto Arquivo Jornal do Centro

CLIPS ÁUDIO

Às 21h30 há uma cidade que começa a fechar. Desde segunda-feira que Viseu, um dos concelhos que está na lista dos municípios de risco elevado de contágio pela covid-19, está debaixo de medidas mais restritivas para o combate à pandemia. Restaurantes e cafés são obrigados a estar de portas encerradas depois das 22h00, mas a partir das 19h30 o movimento já é quase nulo.

“Estou aberto, mas é mais para passar o tempo. Depois das 19h30 são poucas as pessoas que passam aqui na rua. Desde segunda-feira que se nota uma grande diferença”, conta António Brito, que numa pequena loja na Rua do Comércio ainda vai vendendo uma ou outra tripa, principalmente “a quem as leva para casa”.

Mais acima, na Praça D. Duarte, em pleno centro histórico e onde estão concentrados os bares do centro da cidade, o movimento é pouco e os sons que se ouvem são os barulho das cadeiras a serem arrumadas, as correntes a passarem pelas mesas ou uma ou outra pessoa que está de saída dos cafés. “Temos de cumprir a lei e chegou a hora de ir embora”, sublinha Filipe Martins, enquanto acaba de beber o café ao balcão do bar que normalmente frequenta. Depois das 19h30, neste estabelecimento comercial apenas três ou quatro pessoas por ali passaram. “Os clientes já não vêm aqui depois do jantar, como isto fecha as 22h00, aqueles que vinham mais tarde já nem sequer saem de casa e ao fim de semana vamos mesmo estar encerrados”, explica Bruno Seabra. O funcionário diz que aceita o confinamento porque “é necessário”, mas lembra que com os novos horários “são os bares e os restaurantes os mais afetados”.

Faltam 10 minutos para as 22h00 e um grupo de estudantes aproveita o tempo que resta para beber o café e conseguir meter a conversa em dia. Enquanto uma funcionária vai arrumando as mesas, as jovens apressam-se a pagar a conta para regressarem a casa. “Estamos todos a adaptarmo-nos a esta realidade e se os estabelecimentos fecham mais cedo, também chegamos mais cedo para ainda aproveitar algum tempo”, conta Eliane Lemos, uma jovem que entende as normas mais restritivas porque “se as pessoas não sabem viver em cidadania têm de ser tomadas estas medidas para ver se isto melhora”.

E para combater a pandemia, depois das 22h00 o que se vê no centro da cidade são as cortinas dos cafés e restaurantes descidas enquanto no interior se fazem as limpezas. As mesas e cadeiras empilhadas, e carros, poucos, em movimento. Até às 23h00 a população pode circular e são ainda alguns os que passeiam com animais ou sozinhos. Depois dessa hora, o silêncio.

Pelo menos até 23 de novembro, esta é a nova realidade no concelho de Viseu, assim como nos outros 12 do distrito que também estão na mesma lista dos municípios com elevado risco de contágio.

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts