08 Jul
Viseu

Região

Câmara de Viseu prepara ‘Cubo Mágico’ para animar cidade

por Redação

25 de Junho de 2020, 17:32

Foto Arquivo Jornal do Centro

CLIPS ÁUDIO

Já tem nome o plano B da Câmara de Viseu para a Feira de S. Mateus, certame que este ano foi cancelado devido à pandemia da Covid-19.

O evento vai chamar-se Cubo Mágico e vai decorrer de 21 de julho a 21 de setembro, oferecendo um programa com uma centena de iniciativas para dinamizar o concelho.

O anúncio foi feito esta quinta-feira (25 de junho) pelo presidente da Câmara de Viseu, Almeida Henriques.

O autarca prometeu um evento “único e irrepetível, que visa ajudar os comerciantes, as pessoas que vinham à Feira de S. Mateus, os nossos hotéis e restaurantes e a economia local com um conjunto de microeventos, que são 100, e vão dinamizar várias zonas da cidade, sobretudo no centro histórico”.

Almeida Henriques garante que os eventos vão ser dispersos, para garantir a segurança face ao risco de Covid-19 e não substituem o evento franco que decorria secularmente na cidade.

“Este é o plano que estamos a colocar no terreno para minimizar os efeitos e não deixar de ter alguma animação na cidade, para estimular o turismo interno, acolher os emigrantes e ter alguma dinâmica”, acrescenta.

O autarca sublinha que este é um projeto de reanimação económica e cultural e de revitalização comercial e turística de Viseu. A iniciativa vai decorrer em diversos espaços e é promovida em conjunto com a Associação da hotelaria, restauração e similares de Portugal, a Turismo do Centro, a Associação Comercial de Viseu e a Viseu Marca.

O acordo entre estas entidades foi aprovado esta quinta-feira (25 de junho) em reunião de Câmara. Almeida Henriques critica a abstenção da oposição.

Já o vereador do PS, José Pedro Gomes, lamenta que a maioria PSD não tenha dado quase nenhuma informação sobre esta nova iniciativa. “Estamos a falar de oito atividades que vão acontecer em vários sítios da cidade, mas não sabemos de mais nada. E essa é fundamentalmente a razão para nos abstermos”, afirma.

O socialista reitera, no entanto, que a oposição se mostra favorável ao conceito do Cubo Mágico, “até porque achamos que, neste momento, para o comércio e o turismo, estes eventos fazem mais sentido do que nunca”.

“No entanto, não podemos assinar por baixo e subscrever tudo o que vem aqui, só porque estamos de acordo com o princípio. Somos vereadores e exigimos mais pormenores. Não sabemos quanto é que custa”, exemplifica.

O Cubo Mágico vai ser apresentado publicamente na próxima segunda-feira (29 de junho).

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts