13 Ago
Viseu

S. Comba Dão

Empreiteiro faz “desconto” em casa de banho para criança com doença rara

por Redação

18 de Julho de 2020, 08:30

Foto Arquivo Jornal do Centro

CLIPS ÁUDIO

Gondzalo, a criança natural de Cagido, freguesia de Óvoa/Vimieiro, no concelho de Santa Comba Dão, e que tem uma doença rara (Síndrome de “Rett”) acaba de receber um presente de natal antecipado. O rapaz, que não recebe qualquer tipo de ajuda do Estado, precisa de uma nova casa de banho adaptada. As entidades públicas não ajudam. Vai ser uma empresa a tornar mais fácil o dia a dia desta criança e de quem cuida dela. 

O construtor civil Filipe Marques compromete-se a fazer a obra e assegura que é possível fazer a empreitada por um preço muito mais baixo do que inicialmente previsto. O projeto esteve avaliado em 12 mil euros, mas o empreiteiro acha que o consegue executar por menos cinco mil euros.  

Filipe Marques diz que de imediato se disponibilizou para ajudar, depois de ter sido abordado por uma pessoa amiga, ligada ao jovem. “As expectativas para a concretização da obra são muito boas”, afirma, acrescentando que aceitou o desafio “não para ganhar dinheiro”, apenas o preço do custo, “para ajudar nesta nobre causa”.

A Câmara de Santa Comba Dão também se associou à causa, disponibilizando “alguns materiais de construção para a nova casa de banho” e oferecendo a mão de obra necessária para a execução da intervenção. 

Segundo Leonel Gouveia, presidente da autarquia santacombadense, na próxima segunda-feira (20 de julho) o executivo vai reunir com responsáveis do movimento “Pais Unidos do Centro Escolar Sul” da Cancela, que desde o início têm estado empenhados na missão para ajudar o menino.

“A reunião destina-se a acertar alguns detalhes de carácter logístico e operacional para se avançar com a obra o mais rápido possível”, explica. 

Todos acreditam que a construção da nova casa de banho adaptada às condições e limitações físicas do Gondzalo, possa iniciar-se no final do próximo mês de agosto, ou no início de setembro.


Cadeira motorizada é outra necessidade 
Atualmente com sete anos, Gondzalo está agora a precisar de uma nova cadeira motorizada. Como está em crescimento a que tem já não serve para a sua estatura física.

Trata-se de um veículo que lhe permite deslocar-se no interior de casa, ou no exterior, o que que lhe dá qualidade de vida em termos de mobilidade.

.

Segundo uma amiga da família ligada aos “Pais Unidos do Centro Escolar Sul”, a nova cadeira motorizada é muito cara. No mercado custa cerca de cinco mil euros. Também para este equipamento da família do menino precisa de ajuda. 

Ana Lúcia Dias conta que neste caso também se está a estudar a possibilidade de se realizar uma nova campanha de angariação de fundos.  

Nesta fase difícil da vida desta criança todas as ajudas são necessárias, até porque a mãe já pediu apoio à Segurança Social que “nunca se mostrou sensível ao problema, tendo recusado todos os pedidos que foram feitos nesse sentido”, aponta. 

Dificuldades
Gondzalo tem 93 por cento de incapacidade. Sofre de uma doença rara do foro neurológico, “Síndrome de Rett”. Necessita de muitos cuidados uma vez que precisa de apoio de uma máquina para respirar e a sua alimentação é realizada diretamente para o estômago. Necessita de fisioterapia, que também não lhe é comparticipada. Todo o tipo de despesas ficam a cargo da mãe.

Nadine não pode trabalhar pois o menino está completamente dependente dela e da avó, que nas pequenas ausências da progenitora lhe presta auxílio.

O Estado não ajuda a família, o avô do menino, um reformado da GNR, integra o agregado.

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts