09 Ago
Viseu

Cultura

Último livro de Jaime Gralheiro publicado no dia em que completava 90 anos

por Redação

04 de Julho de 2020, 08:30

Foto Arquivo Jornal do Centro

CLIPS ÁUDIO

A 7 de julho, dia em que faria 90 anos, será publicado o último livro de Jaime Gralheiro. “Poesia” é o título e contém textos poéticos escritos pelo autor entre 1950 a 2014, ano em que morreu.

O prefácio é da autoria do professor Fernando Paulo Baptista e de Amadeu Carvalho Homem que diz que é “necessário” estudar Jaime Gralheiro, nas suas multifacetadas formas de intervenção, tendo em conta o espólio que deixou quer na dramaturgia quer no romance e poesia.

Jaime Gralheiro morreu aos 84 anos a 20 de junho de 2014. Natural de S. Pedro Sul, iniciou-se nas artes na sua terra natal no teatro ao crir o grupo "Cénico" com o qual levou à cena peças suas e obras de Gabriel García Lorca, Ariano Suassuna e Gil Vicente.

Em 1967 publicou um volume, no qual reuniu as suas peças "Paredes Nuas", "Belchior" e "Ramos Partidos". Sobre estas peças o escritor Diniz Machado afirmou que "tratam, em última análise, do problema da liberdade do indivíduo perante as inibições ou constrangimentos impostos pelo meio social"

Licenciado em Direiro, Gralheiro, como dramaturgo produziu com regularidade, sendo autor entre outras, de "Arraia-Miúda", "Na Barca com Mestre Gil" e da peça infantil "Farruncho".

A Sociedade Portuguesa de Autores (SPA), na altura, lamentou a morte dramaturgo que qualificou como “homem de princípios, convicções e palavra firme e clara”. A sua obra foi várias vezes premiada e em 1978 foi considerado o autor português mais representado do ano. No ano da sua morte, o dramaturgo foi homenageado pela câmara de S. Pedro do Sul, que atribuiu o seu nome ao cineteatro local, “por cuja recuperação Gralheiro tanto se bateu”.


 

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts