09 Jul
Viseu

Sociedade

Carros elétricos passam a pagar carregamento na rede pública em julho

por Redação

02 de Junho de 2020, 14:48

Foto Arquivo Jornal do Centro

CLIPS ÁUDIO

As “borlas” nos postos de carregamentos de carros elétricos vão acabar a 1 de julho. O carregamento passará a ser pago, anunciou a gestora da mobilidade elétrica Mobi.E.

Os postos de carregamento rápido e os carregadores localizados em espaços privados já tinham iniciado a cobrança deste serviço, respetivamente, em 1 de novembro de 2018 e 1 de abril de 2019.

O presidente da Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos (UVE), Henrique Sanchez, diz que a mudança é motivada pelo fim do projeto-piloto da Mobi.E, “que foi lançado em 2010 e que estava previsto para durar apenas um ano e meio e acabou por arrastar-se dez anos, por questões políticas e de prioridades”.

“O que nos interessa é que chegamos finalmente ao fim. Toda a rede que estava sob a gestão do Mobi.E passa a estar concessionada a operadores privados. Os cartões emitidos pela Mobi.E deixam de servir em toda a rede pública e já não serviam no carregamento rápido e normal em supermercados e outros locais”, explica.

O presidente da UVE diz ainda que os utilizadores devem pedir um novo cartão caso queiram continuar a carregar os seus carros elétricos nos postos de carregamento públicos.

“Quem tiver os cartões da Mobi.E deve, em junho, pedir um cartão a um CEME [comercializador de eletricidade para a mobilidade elétrica] e fazer a adesão ao contrato. Essa adesão é gratuita, o que pode ser em função do tipo de eletricidade que consome em casa, e deve fazer o quanto antes, porque pode durar uma semana ou dez dias”, remata Henrique Sanchez.

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts