28 Set
Viseu

Henrique Monteiro

OPINIÃO

Ainda Feiras, Festas e Festivais

Não sei se com muita ou pouca razão, os feirantes de Viseu queixam-se do modo como são controladas as pessoas (filas intermináveis nas três portas) que querem ter acesso ao recinto.

10 de Agosto de 2020, 14:57

CLIPS ÁUDIO

Não sei se com muita ou pouca razão, os feirantes de Viseu queixam-se do modo como são controladas as pessoas (filas intermináveis nas três portas) que querem ter acesso ao recinto. Também não sei se com razão ou falta dela, as autoridades camarárias responsáveis pela gestão da feira, dizem que a segurança e saúde das pessoas estará sempre em primeiro lugar. Em resumo: os compradores desesperam, os vendedores têm prejuízo, e as autoridades, apesar de tudo, tentam justificar o incómodo de uns e de outros. Deixemos agora esta querela para falar no facto de a grande Feira de São Mateus ter sido cancelada, bem como muitas outras pelo país fora; tal como os diversos Festivais de música de Verão; assim como festas religiosas, de Fátima à Lapa e agora a Senhora dos Remédios, em Lamego. Há prejuízo, inconvenientes, impossibilidade de mostrar crenças e fé. E, no entanto, a Festa do ‘Avante!’ mantém-se – diria impávida e serena, acaso a tornasse uma pessoa – como se nada se passasse. Mais: os seus responsáveis, os dirigentes do PCP, não veem motivo para limitar as entradas e apenas se comprometem a manter as regras sanitárias (sou do tempo em que o PCP afirmava defender as mais amplas liberdades, ao mesmo tempo que as torpedeava, por isso imaginam o que creio em tal lenga-lenga). Só que, neste caso, falta a autoridade. Terá o Governo a coragem de impor medidas iguais às que as Câmaras, nomeadamente a de Viseu, impõem? Ou, pura e simplesmente, tem algo que é uma
vergonha um Governo ter: medo. Medo do que digam, daquilo de que o acusarão? E pior: não tem sequer base legal ou constitucional para o fazer, depois de forma canhestra ter decretado o fim de todos os estados excecionais que permitiam a restrição de direitos, liberdades e garantias?
Como escrevi no Expresso, já todos percebemos que é depudorado realizar-se a Festa do ‘Avante!’ quando ainda tanta coisa semelhante e comparável está anulada, adiada, proibida. O PCP continuar com ela, é um braço de ferro. As autoridades, a começar pelo Governo, fingirem que não veem é uma confissão terrível de vassalagem.

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts