28 Set
Viseu

Jorge Marques

OPINIÃO

Descentralizar não é só Regionalizar

O mesmo homem a quem o PM reconheceu sabedoria suficiente para fazer um plano para o desenvolvimento de Portugal a dez anos, tem andado por aí a explicar as suas ideias.

11 de Agosto de 2020, 15:30

CLIPS ÁUDIO

O mesmo homem a quem o PM reconheceu sabedoria suficiente para fazer um plano para o desenvolvimento de Portugal a dez anos, tem andado por aí a explicar as suas ideias. Disse até que é preciso descentralizar, mas que não é necessário regionalizar. A prazo vai ser cruxificado!
A intenção da regionalização pode até ser boa, mas o começo é duvidoso? Esse novo poder parece emparedado entre o Poder Central de quem depende e um Poder Autárquico que o elege. Em resumo, ficará dependente de um jogo de interesses onde só os maiores partidos políticos tem voz e vontade. O paradoxo é que um processo que se queria de descentralização acaba com mais centralização. Os quarteis generais dos maiores partidos, de quem depende já o governo e a generalidade das autarquias será reforçado com o novo poder regional e afasta-se cada vez mais do país real e da Sociedade Civil. Adivinha-se um jogo de interesses pouco edificante, quando se pensava numa CCDR=Banco de Ideias e Projetos de Desenvolvimento Regional e liderada por gente com competências devidamente comprovadas. A este propósito, um deputado do PSD dizia: “serve para tratarem dos fundos e gerirem o dinheiro que aí vem”. Querem só uma tesouraria?
Viseu tem um mau histórico nesta dependência e na intermediação com o Poder Central. Ainda hoje não se entende e está por explicar, porque é que a linha da Beira Alta, já no antigamente, não passou pela sua capital; porque se matou o caminho de ferro e onde nem a estação ficou para ser testemunho dessa nódoa; porque fugiu a universidade; porque continuam a insultar-nos com o IP3? Houve sempre demasiada obediência para com o Poder Central e os partidos que o suportavam. Faltou sempre a força independente da Sociedade Civil local e que continua a faltar neste modelo de regionalização.
Combater o centralismo, como principio universal, é acabar com a ideia de que quem está no topo é que sabe, que o governo é quem sabe! Descentralizar/regionalizar é partilhar responsabilidades e decisões. Este modelo, tal como se perspetiva, vem reforçar a centralização…

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts