02 Jul
Viseu

Rui Tavares, Oftalmologista do Hospital CUF Viseu

OPINIÃO

O que é a oculoplástica?

A oculoplástica ou cirurgia plástica ocular é uma subespecialidade dentro da oftalmologia que se encarrega de todos os problemas relacionados com as estruturas faciais perioculares

27 de Junho de 2020, 07:00

CLIPS ÁUDIO

A oculoplástica ou cirurgia plástica ocular é uma subespecialidade dentro da oftalmologia que se encarrega de todos os problemas relacionados com as estruturas faciais perioculares: as pálpebras, a órbita e as vias lacrimais.

 

Inclui uma grande variedade de tratamentos com os quais se procura a melhoria física do paciente tendo sempre em mente a recuperação e manutenção da função do globo ocular e suas estruturas anexas, cujo funcionamento se tenha alterado por alguma patologia. Aporta inúmeros benefícios para os doentes pois além de abranger questões estéticas, permite obter aumento da auto-estima dos pacientes e melhoria da sua qualidade de vida.

 

Os oftalmologistas dedicados à Oculoplástica, sabem como a cirurgia palpebral pode afetar o conforto ocular e a função visual. Com experiência no trabalho em redor do olho e conhecedores da delicada anatomia e função das pálpebras e suas estruturas adjacentes, utilizam técnicas microcirúrgicas com a máxima precisão. Por outro lado, sabem como tratar possíveis complicações oculares que possam surgir.

 

E quais são os principais problemas que tratam os oculoplásticos?

  • Malposições palpebrais, como por exemplo, pálpebras demasiado abertas ou caídas, viradas para fora (ectrópio) ou para dentro (entrópio). A ptose palpebral é a queda da pálpebra superior, que afeta o campo de visão do paciente; A blefaroplastia é o tratamento cirúrgico para corrigir o excesso de pele e gordura nas pálpebras superiores e inferiores. Pode ser combinado com procedimentos estéticos o que permite obter resultados muito apreciados.
  • Patologias que afetam a órbita, como a orbitopatia tiroideia, uma doença auto-imune que afeta as pálpebras, músculos oculares e outros tecidos que circundam o globo ocular. Pode ser tratado com medicação e, se necessário, com cirurgia;
  • o pterígio, crescimento triangular da conjuntiva, geralmente no canto interno do olho, frequentemente inflamado e que pode crescer e condicionar perda de visão;
  • chalázios, os conhecidos treçolhos;
  • lacrimejo em crianças e adultos, seja funcional, seja de causa obstrutiva;
  • outros, como tumores palpebrais, paralisia facial, remoção do conteúdo da órbita ou do globo ocular, etc.

 

Caso note alguma alteração nestas estruturas oculares deve agendar uma consulta com um oftalmologista que irá fazer a avaliação e aconselhar o tratamento adequado para a preservação da saúde ocular.

Lembre-se que os hospitais já retomaram a sua atividade clínica programada e têm medidas implementadas para garantir a segurança de todos pelo que não deve hesitar procurar resposta aos seus problemas de saúde.

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts